Óleos e gorduras – bonzinhos ou vilões?

Óleos e gorduras sempre foram considerados verdadeiros vilões na cozinha, assim como o consumo de produtos de origem animal. Mas o que pouca gente sabe é que existem gorduras e óleos do bem, como as gorduras poli-insaturadas e monoinsaturadas que reduzem o risco de doenças cardiovasculares.

A gordura do mal são as gorduras saturadas e a gordura trans. A gordura saturada está presente geralmente nas vísceras, alimentos embutidos e defumados, como: língua, coração, dobradinha, rins, moela, linguiça, paio, salsicha, etc. E a gordura trans, pressente em quase todos os produtos industrializados.

As gorduras e óleos do bem como citamos acima, são simplesmente essenciais à nossa saúde e ao perfeito funcionamento do nosso organismo.

Mas mesmo as gorduras saturadas, quando consumidas em quantidades adequadas, não vão fazer tão mal ao organismo humano, como muitos querem fazer crer. Portanto, mesmo a gordura saturada, pode ser utilizada desde que em pequenas proporções e esporadicamente.

Vale lembrar que o nosso organismo necessita de certa dose de gordura diariamente. Além de ser uma excelente fonte de energia, a gordura contém ácidos graxos essenciais que auxiliam no transporte e absorção no intestino de vitaminas solúveis em gordura (Vitaminas A, D, E, K1, k2 e mais 15 tipos de vitamina K). A deficiência de gordura na alimentação diminui a absorção dessas vitaminas, assim como prejudica a formação dos hormônios esteroides (Pregnenolona, Progesterona, Aldosterona, Cortisol, DHEA, Androstenediona, Estradiol, Testosterona e DHT). Hormônios que são essenciais para a nossa saúde, sexualidade e beleza.

A gordura poli-insaturada e a monoinsaturada, presentes no azeite extravirgem e no óleo de cozinha, diminui o colesterol total e aumenta o colesterol HDL, reduz a inflamação e o risco de doenças cardiovasculares.

Vários são os óleos vegetais hoje disponíveis no mercado e podem ser utilizados no prepara dos alimentos. Confira agora as vantagens e desvantagens de cada tipo.

Óleo de algodão: Rico em ácidos graxos essenciais, ômegas-6 e 3 e vitamina E. É o mais indicado para frituras, mas o seu percentual de gordura saturada é alta – 27%.

Óleo de soja: Boa fonte de ácidos graxos essenciais, sendo também indicado para frituras. Seu custo é o mais baixo de todos os tipos e seu percentual de gordura saturada é baixa – 15%. Pode ser usado também para cozinhar, grelhar e assar.

Óleo de girassol: Rico em substância antioxidantes, ácido linoleico e vitamina E. Pode ser usado em pratos frios e quentes. Possui um preço um pouco mais elevado, mas o seu porcentual de gordura saturada ainda mais baixa – 10%.

Óleo de milho: Tem uma composição muito parecida com a do óleo de girassol. Possui grande quantidade de ácido linoleico e vitamina E. Pode ser utilizado quente e frio e seu percentual de gordura saturada é baixa – 13%.

Óleo de canola: Contém ácidos graxos ômega-3 e 6, em proporções equilibradas. É considerado um dos óleos mais saudáveis para o coração, devido ao seu baixíssimo teor de gordura saturada – cerca de 6%.

Óleo de dendê: Rico em vitaminas A e E. Muito utilizado na produção de margarinas. Porém, em temperaturas elevadas, as gorduras boas se transformar em gorduras saturadas diminuindo a sua qualidade. É importante observar também o seu grau de acidez, que deve estar sempre abaixo de 3%.

Óleo e Gordura de coco: Apesar do seu grande percentual de gordura saturada – cerca de 90%, ele possui diversos compostos bioativos benéficos à saúde. É rico em ácido láurico e ácido caprílico, dois tipo de triglicerídeos, muito importante para várias funções corporais, rico em compostos fenólicos e vitamina E, além um poderoso antioxidante, ele também melhora a imunidade.

Óleo de azeite: Rico em compostos antioxidantes que fortalecem o sistema imunológico. Seu consumo diário melhora o perfil lipídico e inibe a oxidação da LDL – o mau colesterol. Sua acidez não passa de 0,8% e possui 15% de gordura saturada. Possui sabor bastante agradável e é melhor quando aproveitado em preparações frias, como saladas, etc.

Para finalizar, recomendamos aos nossos clientes o uso do óleo de girassol, coco e azeite no preparo dos alimentos. Consideramos que eles possuem uma boa composição, além de atuarem terapeuticamente devido à presença de substâncias como gordura poli-insaturada, monoinsaturada, ácido láurico e caprílico, além de compostos fenólicos, antioxidantes, etc.

Fonte: viva saúde


Share
Postado em 24 de março de 2015, por  
Tags:
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Deixe um comentário

 (obrigatório)
 (Não será publicado - obrigatório)



Últimos Posts



Posts mais visitados



Filtrar por temas



Depoimentos

L.G.M.A – 38 anos – Advogado

Não acreditava mais que fosse possível perder os 40kg que tanto necessitava. Achava mesmo uma tarefa impossível, mas ao saber que alguns conhecidos meus haviam conseguido êxito no tratamento preconizado na Clínica Frederico Pretti, fui conferir. Consegui em 1 ano perder 38kg, sem recorrer a métodos mirabolantes que pudessem trazer consequências e riscos à minha […]*


*Os resultados podem variar de pessoa para pessoa.
Gastronomia - Confira nossas receitas