Ortoblog | Clínica Frederico Pretti - Saúde Ortomolecular | Nutrição, Prevenção e Revitalização

Porque não consigo emagrecer?

Sabemos que emagrecer não é fácil, e permanecer magro é ainda mais difícil, mas não impossível.

Para entender melhor o problema e ajudar em sua dieta para emagrecer, respondemos às principais questões acerca do assunto. Confira abaixo!

POR QUE EU NAO CONSIGO EMAGRECER?

Por que eu engordo?

Porque existe em seu corpo uma ordem genética que diz: todo excesso deve ser armazenado em forma de gordura.

Essa ordem surgiu nos primórdios da vida. Todos os seres vivos criaram mecanismos de sobrevivência para se adaptarem e preservarem a vida. Muito cedo eles perceberam que era necessário criar uma reserva de energia para sobreviverem aos períodos de escassez de alimento.

É uma ordem muito simples: se hoje você tem o que comer, e o que você tem para comer é mais do que você está gastando, você deve armazenar essa diferença em uma reserva de gordura, para quando você não tiver o que comer ou tiver menos que o necessário para sobreviver, você utilizar essa reserva de gordura para nutrir o seu corpo.

Essa reserva de gordura é tão eficiente que pode nos manter vivo em torno de dois meses, desde que tenhamos água para beber e ar para respirar. Essa gordura, que achamos feio e queremos de qualquer maneira nos livramos dela, é em nossa memória genética uma Reserva Estratégica de Sobrevivência.

Por que eu não consigo emagrecer?

Porque o seu corpo está programado para armazenar gordura. Você não engorda porque come muito. Você engorda porque come um pouco mais do que deveria. Você engorda porque come acima do seu limite metabólico. Você engorda porque é muito fácil ultrapassar o seu limite metabólico, que comumente em uma mulher que não faz atividade física oscila em torno de 1200-1400 calorias/dia. Você engorda porque é muito fácil comer mais do que 1200-1400 calorias ao longo do dia.

Mas quantas pessoas você conhece, que são magras, comem muito mais que você e não engordam nem 1 grama? Isso acontece porque essas pessoas não têm uma ordem genética de armazenamento de gordura. Mas você tem. E tudo que você come a mais vai ser depositado em forma de gordura.

É injusto? SIM. Mas é assim que funciona. E a medida que os anos forem passando e seus hormônios diminuindo, vai ficando ainda mais difícil, porque são eles que regulam o metabolismo corporal. Por isso, é muito mais fácil emagrecer aos 20 do que aos 45 anos de idade. Estamos nadando contra a correnteza. Isso é um fato.

Por que a minha tendência ao ganho de peso não tem cura?

Porque a medicina ainda não sabe como desligar ou inativar os genes que controlam o mecanismo de armazenamento de gordura. Todas as doenças que têm característica familiar: diabetes, hipertensão, hipotireoidismo, dislipidemia, etc., a medicina não consegue curar e desenvolveu medicamentos para controlar.

Mas então por que a medicina não desenvolveu um medicamento para controlar a nossa tendência ao ganho de peso? Desenvolveu sim, porém todos os medicamentos apresentaram mais efeitos colaterais do que benefícios e seu efeito sobre o apetite ia gradativamente se perdendo ao longo do tempo.

Por que emagreço e engordo tudo novamente?

Porque a nossa tendência ao ganho de peso não tem cura. Porque toda vez que você emagrece e reduz a reserva de gordura, o corpo entende que precisa refazer a sua reserva de energia, porque em sua memória genética ela é uma reserva estratégica de sobrevivência. E na primeira oportunidade ou excesso alimentar que ocorrer vai haver uma ordem para recompor a sua reserva gordura/energia.

Mas não se desespere. Você pode controlar a sua tendência ao ganho de peso. Como? Adquirindo hábitos alimentares mais saudáveis, praticando atividade física regularmente, reduzindo o seu nível de estresse, ansiedade e compulsão alimentar e melhorando a sua qualidade do sono.

O período mais crítico de um tratamento de emagrecimento é exatamente quando você atinge o peso desejado e resolve sair da dieta. Esse é um período crucial e que necessita de uma abordagem cuidadosa, para que você não volte a ganhar peso.

Por que o carboidrato é um vilão?

POR QUE EU NAO CONSIGO EMAGRECER?

Os carboidratos viciam o cérebro, especialmente os açúcares, doces, chocolate, bolos, biscoitos e pães. Estimulam a compulsão alimentar e geram dependência química. Como um droga, quanto mais você come, mais você quer. E, quando você tenta deixar de consumi-los, provocam sintomas típicos de uma síndrome de abstinência química. É preciso desintoxicar o cérebro dos alimentos que promovem a compulsão. Sem isso, não há a menor chance de nos livrarmos do vício e da ânsia de comer esses carboidratos tão sedutores.

Por que o estresse também é um vilão?

Não só o estresse. Ansiedade, depressão, angústia, insônia, dores crônicas e frustrações, aumentam o desejo pelos carboidratos.

O estresse crônico altera o equilíbrio hipotalâmico, hormonal e metabólico. E desarmoniza a produção de neurotransmissores cerebrais gerando sintomas como os acima descritos, contribuindo ainda para o mecanismo de compulsão alimentar. Por isso, quando você entra em estresse, o seu cérebro diz: “COMA BATON”.

Como o excesso de peso pode prejudicar a minha saúde?

A obesidade não é um problema estético. A obesidade é uma doença complexa, multifatorial e sorrateira, que afeta o organismo como um todo. A Obesidade causa hiperglicemia, hiperinsulinemia, aumento da resistência à ação da insulina, disfunções hormonais e uma inflamação crônica silenciosa e muitas vezes não perceptível em todo o seu organismo, aumentando  incidência de uma série de doenças:

  • Varizes;
  • Derrame;
  • Trombose;
  • Cálculo biliar;
  • Cálculo renal;
  • Diabetes mellitus;
  • Hipertensão arterial;
  • Doenças cardiovasculares;
  • Doenças osteoarticulares;
  • Doenças respiratórias;
  • Câncer de rim e intestino;
  • Câncer de mama, próstata e pâncreas.

A obesidade vem preocupando cada vez mais pesquisadores, médicos, nutricionistas e até mesmo governos. Em alguns países ela já vem sendo considerada um problema de saúde pública, uma verdadeira epidemia.

Emagreça de forma saudável!

Temos na Clínica Dr. Frederico Pretti, um programa de emagrecimento saudável, eficiente e totalmente personalizado, feito para você que deseja emagrecer sem perder a saúde.

Dê o primeiro passo. Leia os depoimentos de clientes que fizeram o nosso programa de emagrecimento saudável. Agende a sua consulta ou venha conhecer a clínica, será um prazer recebe-lo.

Precisa de mais informações sobre o tratamento? Entre em contato com a clínica!

Texto: Dr. Frederico Pretti



Postado em 3 de julho de 2020, por  
Tags: , , , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Gordura localizada, celulite e flacidez

Essa é uma queixa comum e que incomoda muito as mulheres. Como se livrar daquele pneuzinho, daquela gordurinha abdominal ou daquela gordurinha da parte interna e externa da coxa, que teimam em continuar ali, mesmo você emagrecendo. Associada à gordura localizada vem a queixa relativa à celulite e flacidez, que quase sempre ocorrem nos mesmos locais.

Esse tipo de gordura é sempre a última a sair e exigem uma abordagem específica e mais especializada, como a criolipólise, lipoaspiração, etc. A gordura localizada, a celulite e a flacidez, são queixa mais comuns entre as mulheres porque estão em parte relacionadas à questão hormonal. O Homem, temo como seu hormônio principal a testosterona, que combate naturalmente combate a flacidez e a celulite, e concentra a gordura do homem especialmente no abdome.

Gordura localizada, celulite e flacidez tem solução?

SIM. É possível remodelar o seu corpo. Mas é necessário melhorar o seu ganho de massa muscular, reduzir o seu percentual de gordura corporal total e localizado, com uma mudança radical do seu estilo de vida, especialmente em relação aos seus hábitos alimentares e atividade física.

O aumento de peso, gordura localizada, celulite e flacidez, surge gradativamente em decorrência da genética, sedentarismo, maus hábitos alimentares, desequilíbrio hormonal, anticoncepcionais, estresse e elevação do cortisol.

A tendência ao ganho de peso, celulite, flacidez e gordura localizada pode estar geneticamente determinado. Mas você ja ouviu falar em “Epigenética”? Epigenética é conceito que cientificamente afirma que você pode modificar a sua expressão genética através do seu estilo de vida. Assim, genes nocivos à sua saúde podem não se expressar, se expressar de um modo mais suave ou se expressar mais tardiamente. Porque, 51% da sua probabilidade de viver mais e melhor, depende única e exclusivamente do seu estilo de vida, e apenas 17% da sua genética. Portanto, mãos à obra, você pode modificar o seu corpo, saúde, bem-estar e longevidade.

Você nasce com um gene, que pode se expressar logo nos primeiros anos de vida, permanecer adormecido até à sua adolescência ou até à sua vida adulta. Uma vez ativo esse gene diz ao seu corpo uma coisa muito simples de entender: todo excesso alimentar deve ser armazenado em forma de gordura. De um modo geral o metabolismo basal de uma mulher se situa entre 1200 e 1600 calorias por dia. Toda caloria que exceder o seu limite metabólico, vai ser armazenada em forma de gordura. Onde o seu corpo vai depositar a gordura está determinado geneticamente e hormonalmente. Simples não!!!

O aumento da gordura gera um processo inflamatório crônico e silencioso, que por sua vez aumenta a sua predisposição ao aumento do peso, gordura localizada, celulite e vários outros problemas de saúde. Portanto, emagrecer não é uma questão estética, mas um processo de prevenção e melhora da sua autoestima.

O que fazer?

  1. Emagrecer, mas sem perder a sua massa muscular. Conheça o nosso programa de emagrecimento saudável.
  2. Aumentar a sua massa magra, reduzir a flacidez, gordura localizada e a celulite. Nesse momento é essencial o acompanhamento de um excelente personal training e a suplementação de nutrientes,  assim como uma delicada e personalizada modulação hormonal capaz de otimizar os nossos objetivos. Conheça o nosso programa programa remodelação corporal.
  3. Por último, como a cereja do bolo, você pode procurar um especialista e fazer procedimentos localizados como a criolipólise, lipoaspiração, entre outros, para um arremate final.

Texto: Dr. Frederico Pretti e Dr. Antonio Geraldo Camara



Postado em 20 de junho de 2020, por  
Tags: , , , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Colágeno, saúde e beleza

O que é Colágeno?

 O colágeno é uma proteína estrutural fundamental para a saúde e beleza da pele, cabelos e unhas. Ele é essencial para a mobilidade e elasticidade da pele, músculos, ligamentos, tendões e articulações. O colágeno desempenha também, um importante papel no encarceramento das células cancerosas, em forma de um tumor, para impedir o seu crescimento e disseminação.

O colágeno representa 70% de toda a proteína do corpo. A partir dos 25 anos de idade a capacidade de produção de colágeno começa o seu declínio gradativo,

contribuindo ao longo dos anos, para o surgimento das rugas de expressão, flacidez facial e corporal, ressecamento das cartilagens e articulações, perda da mobilidade e funcionalidade corporal.

 

O que acelera a perda de Colágeno

O excesso de exposição solar, sem proteção, envelhece precocemente a pele. Os raios solares destroem as fibras de colágeno e elastina da pele através de um processo denominado elastose solar, deixando a pele mais fina, amarelada, com vasos e poros mais dilatados, além de estimular o aparecimento de rugas.

Estresse, tabagismo, álcool, drogas, agrotóxicos e poluentes ambientais, estimulam a formação de radicais livres e a degeneração das fibras de colágeno e elastina, acelerando o processo de envelhecimento da pele.

Hábitos alimentares inadequados, o consumo exagerado de açúcar e dietas muito restritivas por tempo prolongado, com baixa oferta de zinco, cobre, manganês, lisina, prolina, vitaminas A, D, E, C e Complexo B, também também aceleram a perda de colágeno e elastina.

Porque e como estimular a síntese de Colágeno

 Estimular a síntese de colágeno é o grande segredo para restaurar a saúde e a beleza da pele, reduzir a flacidez e as linhas de expressão, assim como melhorar a hidratação e a textura de unhas e cabelos.

Estimular a síntese de colágeno é essencial para a manutenção e restauração da elasticidade e mobilidade de articulações, cartilagens, ligamentos, tendões e músculos.

Estimular a síntese de colágeno também é fundamental para a elasticidade dos vasos sanguíneos e a saúde cardiovascular, assim como para a prevenção e tratamento do câncer.

Um estilo de vida mais saudável, com uma alimentação mais natural rica em fibras, vitaminas, minerais e aminoácidos, são essenciais para estimular a síntese de colágeno e retardar o processo de envelhecimento.

Vitamina C, lisina, prolina, zinco, cobre e manganês, são nutrientes essenciais para a síntese de colágeno.

Você pode utilizar o colágeno hidrolisado como fonte de lisina, prolina, glicina e hidroxiprolina, na dose de 10 gramas, 1-2 vezes por dia, e de preferência fora das refeições

Nutrientes que estimulam a síntese de Colágeno

Vitamina C     – 3 a 9 gramas/dia

Lisina              – 3 a 9 gramas/dia

Prolina            – 1 a 6 gramas/dia

Zinco               – 15 a 35 miligramas/dia

Cobre              – 1 a 2 miligramas/dia

Manganês      – 2 a 3 miligramas/dia

Sinais de que você pode estar com carência de Colágeno

  • Unhas mais secas e quebradiças;
  • Pele mais ressecada, craquelada e fina;
  • Cabelos mais secos, finos, quebradiças e sem brilho;
  • Aumento das rugas faciais.
  • Aumento das linhas e sulcos faciais de expressão.
  • Flacidez e perda de elasticidade da pele, especialmente na face.
  • Perda da mobilidade e elasticidade das articulações, ligamento e tendões

Principais fontes de Colágeno

 As carnes são as principais fontes de colágeno. A gelatina, uma sobremesa saborosa, refrescante e dietética, também é uma fonte de colágeno, e ainda ajuda a combater aquela vontade aguda de comer doces e guloseimas.

Colágeno vegetal não existe, porque todos os suplementos de colágeno são de origem animal, mas os veganos podem fazer uso de suplementos proteicos provenientes da ervilha e coco, e paralelamente aumentar a ingestão de zinco, cobre e vitamina C, para estimular a síntese de colágeno

Diferença entre Colágeno e Whey Protein

 O que caracteriza a proteína do colágeno é uma maior concentração de prolina, hidroxiprolina, lisina e glicina, aminoácidos que estimulam a síntese de colágeno e deixam a pele, cabelos e unhas, mais bem hidratadas e bonitas.

O que caracteriza o whey protein – a proteína do soro do leite, é uma maior concentração de leucina, isoleucina, valina, aminoácidos que estimulam a síntese e a performance muscular.

Dermocosméticos

O uso de dermocosméticos também pode estimular a produção de colágeno. Procure produtos que contenham ativos como o Retinol e Alfa-hidroxiácidos, como o que estimula a produção de colágeno, reduz as rugas e deixa a pele ao redor dos olhos mais firme, proporcionando um rejuvenescimento de dentro para fora.

Os tratamentos noturnos também podem ser de grande valia. Escolha dermocosméticos com Vitamina C, Ácido hialurônico e Ácido glicólico, capazes de impedir a destruição e estimular a produção de colágeno.

A máscara gel de colágeno, revitaliza, remineraliza, aumenta a firmeza e a elasticidade da pele. A Máscara de Colágeno com Vitamina C e Ácido hialurônico aumenta a hidratação das camadas mais profundas da pele, estimula a produção de colágeno, combate a ação dos radicais livres, retarda o envelhecimento e devolve a luminosidade à sua pele

Artigo escrito por:

Dr. Frederico Pretti – Tel: (31) 98219-7475 – Belo Horizonte

Dr. Antonio Geraldo Camara – Tel: (16) 99622-8080 – Ribeirão Preto

Dr. Eduardo Poletti Camara –  Tel: (16) 99622-8080 – Ribeirão Preto



Postado em 25 de maio de 2020, por Frederico Pretti
Tags: , , , , , , , , , , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Vitamina C – Surpreendente!!!

Todo animal consegue produzir a Vitamina C que necessita. Porém, ao longo da evolução, o ser humano perdeu essa capacidade. Como não conseguimos produzir e nem armazenar, é necessário ingeri-la diariamente através de frutas e verduras frescas.

A VITAMINA C é imprescindível para a saúde do organismo como um todo. Sua absorção pelo sistema digestivo decresce com a idade, não sendo incomum encontrar baixos níveis séricos dessa vitamina em idosos.

Estresse, poluentes ambientais, agrotóxicos, drogas, álcool e fumo, aumentam de forma significativa a necessidade de Vitamina C. Fumantes e mulheres em uso de anticoncepcional, têm usualmente um nível sérico menor de Vitamina C – 24 a 31%.

Infecções graves consomem rapidamente a Vitamina C presente nos leucócitos, comprometendo a produção de anticorpos e outros componentes importantes do sistema imunológico, reduzindo capacidade do organismo de combater a infecção.

A VITAMINA C fortalece e estimula o sistema imunológico a produzir anticorpos contra vírus, fungos e bactérias. O aumento dos níveis séricos da Vitamina C reduz a incidência de gripes, resfriados, sinusites, faringites e a predisposição a alergias.

A VITAMINA C é essencial para a síntese de colágeno. O colágeno é a proteína responsável pela beleza da pele, cabelos e unhas, prevenção de rugas e linhas faciais de expressão e redução da flacidez, especialmente do rosto. O colágeno também é crucial para a cicatrização e a reparação de lesão em todos os tecidos corporais, como pele músculos e artérias.

A VITAMINA C é um potente antioxidante e desempenha um papel importantíssimo no combate aos radicais livres. O controle da formação dos radicais livres é essencial na prevenção do envelhecimento e na proteção de olhos, cérebro e coração. Sua ação na síntese do colágeno, reparação tecidual e combate aos radicais livres faz com que ela seja uma importante aliada na prevenção do câncer, da aterosclerose cerebral e coronariana, auxiliando na prevenção das demências e do infarto agudo do miocárdio.

Potencial terapêutico da VITAMINA C

Circunferência cintura-quadril e risco cardiovascular: Um estudo publicado em dezembro de 2005 no Diário Americano de Nutrição Clínica chamou a atenção entre níveis séricos mais baixos de VITAMINA C e o aumento da circunferência cintura-quadril. Pesquisas publicadas recentemente sugerem que o aumento desse parâmetro pode ser um melhor preditor de doenças cardiovasculares que o índice de massa corpórea (IMC). Indicando que a distribuição da gordura corporal pode ser mais importante que a obesidade por si só.

Obesidade: Dados analisados por pesquisadores britânicos de Estudantes da European Early Research in Cancer and Nutrition (EPIC), correlacionaram níveis séricos baixos de VITAMINA C com o aumento do peso, aumento da circunferência cintura-quadril e aumento do IMC. Parece haver uma correlação entre um corpo mais magro e uma melhor distribuição da gordura corporal, com um nível sérico mais adequado de VITAMINA C.

Doenças cerebrovasculares: um estudo prospectivo, que acompanhou mais de 2.000 moradores de uma comunidade rural japonesa por 20 anos, descobriu que o risco de derrame nas pessoas que apresentavam níveis séricos mais elevados de Vitamina C era 29% menor.

Doenças degenerativas cerebrais: Em um artigo publicado em junho de 2006 no Diário de Nutrição, os investigadores da Universidade de Vanderbilt in Nashville, no Tennessee, demonstraram que uma dieta deficiente em VITAMINA C e E, causou em um curto espaço de tempo (5 a 15 dias), sérios danos ao sistema nervoso central de animais.

Degeneração macular relacionada a idade: Um estudo publicado em dezembro de 2005 no Diário da Associação Médica Americana concluiu que pacientes com dietas ricas em VITAMINAS C, A, E, Betacaroteno e Zinco,  tem um risco significativamente menor de desenvolver uma degeneração macular relacionada à idade, a causa mais comum de cegueira permanente.

Asma brônquica e Alergias respiratórias: A Vitamina C reduz a liberação de histamina, substância mediadora dos processos alérgicos.

Câncer de mama: Em um estudo in vitro, publicado no Diário de Bioquímica Alimentar em maio de 2006, investigadores coreanos demonstraram que a associação das VITAMINAS C e E, foram capazes de reduzir em 75% a proliferação de células cancerígenas de mama.

Dois grandes estudos prospectivos descobriram que a ingestão de vitamina C está reduz a incidência de câncer de mama em certos subgrupos. Em um estudo de saúde de enfermeiras na pré-menopausa, com histórico familiar de câncer de mama, que consumiram uma média de 205 mg/dia de vitamina C provenientes de alimentos, tiveram um rico 63% menor de câncer de mama, do que aquelas que consumiram uma média de 70 mg/dia.

Câncer: Dados analisados por pesquisadores britânicos de Estudantes da European Early Research in Cancer and Nutrition (EPIC), correlacionaram níveis séricos baixos de VITAMINA C com o aumento da incidência de câncer.

Microarray, descobriu que o tratamento combinado das VITAMINAS C e A, promoveu uma regulação para cima de 29 genes implicados na diferenciação, inibição, e proliferação celular, assim como no aumento da atividade da glutationa-s-transferase e superóxido dismutase. Todos fatores decisivos no combate ao câncer.

A VITAMINA C bloqueia a formação de nitrosaminas no intestino, compostos potencialmente cancerígenos, especialmente para a bexiga e o sistema digestivo. As nitrosaminas são produzidas a partir dos nitratos contidos nos embutidos como presunto, salsicha, mortadela e linguiça. Outros compostos, potencialmente cancerígenos são bloqueados pela VITAMINA C, como os óleos comestíveis reaquecidos e o benzopireno, presente nas carnes e pescados defumados.

Esquizofrenia: Os Drs. Abraham Hoffer e Humphry Osmond, ambos do Canadá, demonstraram que formas oxidadas de adrenalina produzem alucinação em alguns esquizofrênicos. A VITAMINA C previne a oxidação da adrenalina e preconizam a administração de doses de vitamina C entre 3 a 6 g/dia

10 Razões para você fazer uso de VITAMINA C

Essencial para cicatrização.

Essencial para a saúde gengival.

Essencial para síntese de colágeno.

Essencial para o combate ao câncer.

Essencial para a saúde muscular e articular.

Essencial para a beleza da pele, cabelo e unhas.

Essencial para a síntese e reparação dos tecidos.

Essencial para o sistema antioxidante e controle dos radicais livres.

Essencial para o sistema antioxidante e o combate aos radicais livres.

Essencial para o sistema imunológico e o combate a vírus, fungos e bactérias.

 

Sinais de que você pode estar com carência de VITAMINA C

Flacidez facial.

Alergia respiratória

Dificuldade de cicatrização.

Pele, cabelo e unhas ressecadas.

Dores articulares.

Ressecamento osteoarticular.

Sangramento e infecções gengivais recorrentes.

imunidade baixa com herpes labial e cutâneo recorrentes.

Imunidade baixa com candidíase e herpes vaginal recorrentes.

Imunidade baixa com resfriado, sinusite, faringite e amigdalite recorrentes.

 

Algumas considerações sobre a VITAMINA C

Vitamina C melhora a absorção do ferro.

Vitamina C reduz a coagulabilidade sanguínea.

Vitamina C sempre deve ser usada junto com o bioflavonóides.

Vitamina C sempre deve ser usada com magnésio em portadores de cálculo renal.

Quem fuma precisa de mais Vitamina C.

Quem usa anticoncepcional precisa de mais Vitamina C.

 

Melhores fontes de VITAMINA C – P/100 gramas do Alimento

Camu-camu – 2880mg

Acerola – 1790mg

Caju – 219mg

Goiabas – 200mg

Pimentas – 200mg

Pimentão amarelo – 200mg

Pimentão vermelho – 158mg

Salsinha – 133mg

Mexerica – 112mg

Mamão formosa – 78mg

Kiwi – 70mg

Manga – 65mg

Morango – 63mg

Laranja – 53mg

Tomate – 18mg

Suco de limão – 46mg

Suco de laranja – 50mg

Suco de abacaxi – 11mg

 

Observação: A Vitamina C é extremamente sensível ao calor. Vários outros alimentos como brócolis, espinafre, batata doce, entre outros, contém também a VITAMINA C. Mas ao sofrerem ação do calor, durante o seu preparo, perdem praticamente todo o seu conteúdo de Vitamina C.

Suplementação de VITAMINA C

A dose mínima recomendada é de 500mg/dia. Mas pode chegar a 10 gramas por dia, de acordo com cada caso. Dose elevadas devem ser fracionadas ao longo do dia, para melhorar a absorção e reduzir a irritabilidade gástrica.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada aos bioflavonoides, como quercetina, hesperidina e rutina. Porque eles potencializam a ação da Vitamina C.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada ao magnésio e à vitamina B6, em portadores de cálculo renal.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada às Vitaminas A e D + Betacaroteno + Quercetina + Glutamina + Lisina + Zinco + Cobre + Selênio, quando a intenção for o fortalecimento do sistema imunológico. A Arginina pode usada, especialmente nas mulheres portadoras de candidíase vagina, mas não deve ser utilizada nos portadores do herpes labial, cutâneo ou vaginal, pois ela aumenta a predisposição a infecções causadas por esse tipo de vírus.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada à Lisina + Prolina + Arginina + Zinco + Cobre + Manganês + Quercetina, quando a intenção for estimular a síntese de colágeno, e propiciar uma melhora da flacidez e elasticidade da pele, ligamentos, tendões e a mobilidade articular. Cabelo e unhas também vão se beneficiar dessa fórmula, mas nesse caso dever ser associado a Biotina + Silício + Pantotenato de cálcio.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada à Lisina + Prolina + Arginina + Zinco + Cobre + Manganês + Quercetina + Hesperidina + Rutina + Epigalocatequina + Curcumina + Gengibre + Enzimas Mitocondriais, quando a intenção for o tratamento do câncer.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada às Vitaminas A e E + Complexo B + Lisina + Prolina + Arginina + Zinco + Cobre + Manganês + Magnésio + Quercetina + Hesperidina + Rutina + Epigalocatequina + Curcumina + NAC + Enzimas Mitocondriais, quando a intenção for o tratamento de doenças cardiovasculares e neurodegenerativas.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada às Vitaminas A, D e E + Lisina + Prolina + Arginina + Taurina + Zinco + Cobre + Manganês + Quercetina + Hesperidina + Rutina + Epigalocatequina + Curcumina + NAC + DHA + Luteína + Zeaxantina + Enzimas Mitocondriais, quando a intenção for o tratamento das doenças degenerativas oculares.

A VITAMINA C sempre deve ser associada às Vitaminas A e E + Complexo B + Zinco + Cobre + Selênio + Manganês + Magnésio + Quercetina + NAC + Enzimas Mitocondriais, quando a intenção for melhorar a capacidade antioxidante do organismo, combater os radicais livres e retardar o processo de envelhecimento.

Atenção: Doses elevadas de Vitamina C pode causar dor gástrica, diarreia e dor nos rins, mesmo sem a presença de cálculo renal. Nesses casos recomenda-se reduzir a dose até o organismo se adaptar.

Atenção: O uso de doses elevadas de Vitamina C deve sempre ser acompanhada por um médico ortomolecular ou nutrólogo.

Artigo escrito por:

Dr. Frederico Pretti – Tel: (31) 98219-7475 – Belo Horizonte

Dr. Antonio Geraldo Camara – Tel: (16) 99622-8080 – Ribeirão Preto

Dr. Eduardo Poletti Camara –  Tel: (116) 99622-8080 – Ribeirão Preto

 



Postado em 28 de abril de 2020, por Frederico Pretti
Tags: , , , , , , , , , , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Vitamina D – Múltiplas Ações

A VITAMINA D foi descoberta na década de trinta e sua deficiência correlacionada ao raquitismo em crianças. Mais tarde descobriu-se que ela é um pró-hormônio que associado ao paratormônio (PTH), atua como importante regulador do metabolismo ósseo. Ao longo dos anos a literatura médica publicou uma infinidade de artigos científicos nas mais renomadas revistas médicas demonstrando que sua ação no corpo humano é muito mais ampla que imaginávamos.

A VITAMINA D é essencial para o perfeito funcionamento do sistema imunológico. A Vitamina D estimula a produção de células de defesa e substâncias com ação antimicrobianas, capazes de nos defender contra infecções causadas por vírus, fungos e bactérias.

A VITAMINA D também nos protege contra a depressão, ansiedade, câncer, diabetes mellitus, doenças autoimunes, neurodegenerativas e cardiovasculares, entre tantas outras.

Potencial Terapêutico da VITAMINA D

Gripes e resfriados: Estudo realizado em Cambridge, correlacionou a deficiência de Vitamina D com o aumento da incidência de doenças respiratórias em crianças. O tratamento com Vitamina D foi capaz de reverter a situação.

Psoríase: Estudo publicado pelo UK PubMed central, mostrou que análogos sintéticos da vitamina D são úteis no tratamento da psoríase.

Dor, fadiga e fraqueza muscular: O Dr. Michael F. Holick, especialista em Vitamina D, relata que esses são sintomas comuns em pacientes com deficiência de Vitamina D.

Dores ósseas e articulares: O Dr. Michael F. Holick, relata que esses são sintomas comuns em pacientes com deficiência de Vitamina D.

Doença renal crônica: O Dr. Michael F. Holick, relata que pacientes com doença renal crônica avançada, especialmente em diálise, são incapazes de produzir a forma ativa da Vitamina D.

Diabetes mellitus tipo I: Estudo realizado na Finlândia foi destaque no Lancet.com. 10.366 crianças receberam 2.000UI/Dia de vitamina D3 durante o primeiro ano de vida e foram monitoradas durante 31 anos. O risco de diabetes foi reduzido em 80%.

Asma brônquica: A vitamina D pode reduzir a gravidade das crises de asma. Pesquisas realizadas no Japão revelaram uma redução significativa das crises, nas crianças em idade escolar, que receberam uma suplementação de 1.200UI/Dia de Vitamina D.

Doenças cardiovasculares: Pesquisa realizada na Universidade de Harvard entre enfermeiros, concluiu que mulheres com níveis baixos de Vitamina D, menor que 17 ng/mL, tiveram um aumento de 67% no risco de desenvolverem hipertensão arterial e insuficiência cardíaca congestiva.

Depressão e ansiedade: Vem sendo associadas à deficiência de Vitamina D. Um estudo realizado em mulheres grávidas e crianças na primeira infância, concluiu ser essa vitamina essencial para o desenvolvimento cerebral da criança e seu comportamento emocional quando adulta.

Câncer: Pesquisadores da Georgetown University Medical Center, em Washington DC, descobriram uma ligação entre a ingestão elevada de Vitamina D e a redução do risco de câncer de mama. Esses resultados, apresentados na Associação Americana para Pesquisa do Câncer, revelaram: o aumento dos níveis séricos de vitamina D foi associado a uma redução de 75% em todos os tipos de câncer e 50% a menos de recorrência do câncer de mama.

Doença periodontal: Portadores de inflamação e sangramento gengival crônico, devem considerar aumentar o seu nível sanguíneo de Vitamina D. Porque ela aumenta a produção de defensinas e catelicidinas, compostos com propriedades antimicrobianas, que reduz o número de bactérias na boca.

10 Principais sintomas de deficiência de Vitamina D

Psoríase.

Depressão e ansiedade.

Dificuldade de cicatrização.

Dificuldade para emagrecer.

Dores nos ossos, articulações e coluna vertebral.

Fibromialgia – sinto dores musculares constantes.

Fadiga crônica – sinto um cansaço que não melhora.

Queda de cabelo e alopecia especialmente em mulheres.

Transpiração excessiva e súbita sem um motivo aparente

Estou sempre doente, com infecções e inflamações recorrentes.

 

Algumas Considerações sobre a Deficiência de Vitamina D

Nove, entre dez pessoas investigadas no mundo, tem deficiência de Vitamina D. Não é incomum encontramos pessoas cujo nível sanguíneo é inferior a 15 ng/mL. Estamos diante de uma pandemia de deficiência da Vitamina D.

A VITAMINA D é um nutriente proveniente de alimentos gordurosos, especialmente os de origem animal, como, carnes gordas, vísceras, peixes gordos e ovos. Com o intuito de proteger o coração diminuímos muito o consumo desses alimentos. As pessoas hoje em dia entram no supermercado procurando por produtos light.

De acordo com Dr. Heike R. Bischoff-Ferrari, da Universidade de Zurique, países onde o inverno é muito longo, para manter os níveis de Vitamina D acima de 30 ng/mL, é necessárias duas porções diárias e bem generosas de peixes gordos, como salmão, cavala, arenque ou sardinha.

O estilo de vida moderno também tem a sua parcela de culpa. As pessoas acordam, pegam o carro na garagem e dirigem até a garagem do prédio onde trabalha, trabalham até de noite e vão para casa, sem que uma gota de sol pegue em sua pele. No final de semana acorda tarde, cansado e desiste de tomar um sol. E fazemos atividade física praticamente dentro de academias. Sem SOL – Sem Vitamina D.

Suplementação de Vitamina D

A VITAMINA D tem tanto uma ação imunoestimulante, como uma ação imunosupressora, dependendo da dose utilizada.

Para se atingir o nível sanguíneo e terapêutico acima recomendado, a dose diária de Vitamina D, vai variar de acordo com a individualidade e a capacidade capacidade de absorção intestinal de cada um.

Em nossa experiência, normalmente precisamos de 10.000UI/Dia para manter o nível sanguíneo de Vitamina D entre 50-70 ng/ml.

Quando se utiliza doses superiores a 20.000UI/Dia, é recomendável que se reduza o consumo de alimentos ricos em cálcio, suspenda o uso de suplementos que contenham cálcio e monitore os níveis de cálcio e fósforo no sangue e na urina, além de outros marcadores que avaliam o metabolismo do cálcio e a função renal, entre outros.

O PROTOCOLO COIMBRA de VITAMINA D – O Dr. Cícero Coimbra, médico brasileiro com maior experiência na utilização da Vitamina D no tratamento de doenças autoimunes e doenças neurodegenerativas, geralmente utiliza em seu protocolo doses superiores a 20.000UI/Dia, acompanhada de uma dieta rigorosa de ingestão de cálcio.

A VITAMINA D necessita do apoio de outros nutrientes para execer todo o seu potencial terapêutico e reduzir a possibilidade de efeitos colaterais, como: Magnésio, manganês, boro, silício, genisteína, vitaminas K2 e B2.

A VITAMINA D necessita também do apoio de outros nutrientes quando for usada com o objetivo de fortalecer o sistema imunológico, como: Vitaminas A, C e E + Zinco, cobre e selênio.

Atenção

A VITAMINA D em doses superiores a 2.000UI/Dia, não deve ser utilizada sem acompanhamento médico, especialmente em portadores de cálculo renal e pacientes em uso de medicamentos ou suplementos para tratamento de osteoporose.

ARTIGO: VITAMINA D e SUAS MÚLTIPLAS AÇÕES

Dr. Frederico Pretti – Tel: (31) 98219-7475 – Belo Horizonte

Dr. Antonio Geraldo Camara – Tel: (16) 99622-8080 – Ribeirão Preto

Dr. Eduardo Poletti Camara –  Tel: (116) 99622-8080 – Ribeirão Preto



Postado em 20 de abril de 2020, por Frederico Pretti
Tags: , , , , , , , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário




Últimos Posts



Posts mais visitados



Filtrar por temas



Depoimentos

W.G.O.J – 32 Anos – Programador

Dr. Frederico, é com muita satisfação que faço esse depoimento. Espero que ele possa ser útil para incentivar àqueles que estejam pensando em emagrecer. Meu programa de emagrecimento teve a duração de 90 dias e a minha meta de perda de peso foi estipulada em 15 Kg. Notei, logo nos primeiros dias, que o programa […]*


*Os resultados podem variar de pessoa para pessoa.
Gastronomia - Confira nossas receitas