Ortoblog | Clínica Frederico Pretti - Saúde Ortomolecular | Nutrição, Prevenção e Revitalização

Enxaqueca

Enxaqueca

 

 

 

 

 

 

 

 

A Enxaqueca é uma dor provocada pela dilatação de vasos sanguíneos do cérebro. Em primeiro lugar, os vasos sanguíneos se contraem, provocando sintomas visuais que geralmente acompanha a enxaqueca clássica, mais conhecidos como AURA.

Posteriormente, os vasos se dilatam, dando origem a uma dor de cabeça tipicamente pulsátil, que acomete mais comumente um lado da cabeça.

As enxaquecas frequentemente são acompanhadas de náusea, vômito, sensibilidade à luz e sons altos. A dor de cabeça pode ser severa a ponto de incapacitar o paciente, forçando-o a deitar-se num quarto escuro e silencioso, até melhorar.

Existem vários tipos de enxaquecas. No entanto, as mais comuns, são as relacionadas ao estresse,  hipoglicemia, sensibilidade alimentar, sensibilidade hepática, ingestão insuficiente de água, prisão de ventre e período pré-menstrual.

Os pacientes que sofrem de enxaqueca geralmente tem alguns traços de personalidade em comum: São perfeccionistas, auto exigentes, gostam de ter as suas coisas sob controle e pensam demais, em suma, mais propensos ao estresse.

Alimentos que provocam enxaqueca

Alguns alimentos contém em sua composição ingredientes que podem causar enxaqueca. Portanto, são os alimentos a serem evitados ou mesmo excluídos da sua dieta, dependendo o seu grau de sensibilidade:

Aminas vasoativas: São capazes de dilatar os vasos sanguíneos, especialmente a tiramina e a feniletilamina. A tiramina pode ser encontrada em queijos envelhecidos, vinho tinto, creme azedo e fígado de galinha.A feniletilamina, por sua vez, pode ser encontrada em queijos e chocolates.

Outros alimentos também possuem aminas vasoativas, como por exemplo: abacate, abacaxi, amendoim, banana, berinjela, batata, cebola, repolho, iogurte e leveduras.

Nitritos: São substâncias adicionadas às carnes para realçar a cor vermelha. São também utilizados na fabricação de salsichas, salames e outros embutidos.

Cafeína: Quanto maior a ingestão de cafeína, maior a probabilidade de enxaqueca. Em outras palavras, quem faz uso de cafeína têm 30% mais crises de enxaqueca. A cafeína está presente no café, chá preto, chá mate, chás tipo breakfast, refrigerantes à base de cola e chocolates.

Leite e derivados: São uma das grandes causas de enxaqueca, especialmente nos portadores de intolerância à lactose. O Fígado é muito sensível à gordura dos lácteos, mais do que a gordura de carnes e ovos. Os queijos quando aquecidos, ou seja, derretidos ou grelhados, sobrecarregam ainda mais o fígado.

Bebidas alcoólicas fermentadas: Normalmente o álcool sobrecarrega bastante o fígado, especialmente nas pessoas mais sensíveis, no entanto, as bebidas fermentadas, como por exemplo: vinhos, champanhes, proseccos, cervejas e chopes, são os que mais provocam enxaqueca.

Dicas que podem reduzir as crises de enxaqueca

Evite o excesso ou suspenda o uso de: Leite, queijo, iogurte, chocolate, café, chá preto, chá mate, chás tipo breakfast, bebidas alcoólicas fermentadas, adoçantes que contenham aspartame e refrigerantes à base de cola.

Não passe muitas horas sem se alimentar: Ficar muito tempo sem se alimentar causa hipoglicemia e consequentemente enxaqueca. Então, procure se alimentar aproximadamente de 3/3 horas, não permitindo que isso ocorra. A hipoglicemia causa, em suma, uma instabilidade cerebral.

Evite o excesso de açúcar e doces: O excesso de açúcar e doces, especialmente quando consumidos fora das refeições, são absorvidos rapidamente provocando um pico de insulina e consequentemente, uma hipoglicemia. Portanto, causa enxaqueca.

Crie o hábito de ler o rótulo dos alimentos: Procure pela presença de nitrito, nitrato, glutamato, aspartame, corantes e flavorizantes, ou seja, sabores artificiais. Apenas para esclarecer, essas substâncias provocam enxaqueca. O glutamato é muito utilizado na culinária chinesa e japonesa, e em produtos industrializados.

Suplementos nutricionais que previnem as crises de enxaqueca

Minerais:

Magnésio: O magnésio é essencial para tratamento das enxaquecas. Uma pesquisa demonstrou, que pacientes que sofrem de enxaqueca, apresentam uma maior incidência de deficiência de magnésio.

Além disso, o magnésio acalma, relaxa os músculos, regula o sistema vascular cerebral, reduz a pressão arterial e combate a tensão pré-menstrual. Melhores fontes: Magnésio inositol, glicinato e treonato. Dose sugerida: 300 a 1000mg/dia.

Cálcio: O cálcio também é muito importante no tratamento das enxaquecas. Ele acalma o cérebro e atua no controle da dor. Mas, associado ao magnésio e vitamina B6, reduz a tensão e a enxaqueca pré-menstrual. Melhores fontes: Cálcio citrato, gluconato e lactato. Dose sugerida: 600 a 2000mg/dia.

Vitaminas:

Vitamina B3 : Acalma o cérebro, relaxa os músculos e ajuda no controle da dor, especialmente quando na forma de inositol hexanicotinato. Na forma de niacina é até utilizada na crise de enxaqueca, embora eu não a recomende, pelo fato dela causar com muita frequência uma reação de mal estar com rubor e calor no tórax e na cabeça. Por outro lado, a niacina no flush, não funciona.

Vitamina B6: Estudos mostraram que o aumento dos níveis de vitamina B6, foi capaz de reduzir as crises de enxaquecas, especialmente quando associada ao magnésio e o cálcio no tratamento da dor de cabeça pré-menstrual

Vitamina B8: Fosfatidilcolina, Bitartarato de Colina e Lecitina de soja, são excelentes fontes de colina, uma vitamina pertencente ao complexo B. A colina é precursora da acetilcolina, o neurotransmissor da memória. Estudos descobriram que os níveis de colina no sangue eram baixos em pessoas com enxaqueca.

Complexo B: As vitaminas do complexo B são essenciais para a produção de energia nas células e formação dos neurotransmissores cerebrais: serotonina, dopamina e acetilcolina, assim como para o tratamento do estresse, depressão, ansiedade, insônia e fibromialgia, entre outros. Elas devem de preferência, serem usadas em conjunto e nas doses sugeridas abaixo:

  • B1 – Tiamina: 25 a 100mg/dia
  • B2 – Riboflavina: 25 a 100mg/dia
  • B3 – Niacinamida: 25 a 200mg/dia
  • B5 – Pantotenato de cálcio: 2 a 100mg/dia
  • B6 – Piridoxal-5-fosfato: 25 a 100mg/dia
  • B8 – Fosfatidilcolina: 100 a 400mg/dia
  • B9 – Metilfolato: 400 a 1000mcg/dia
  • B12 – Metilcobalamina 400 a 1000mcg/dia

Aminoácidos, Ômegas e Enzimas Mitocondriais

Taurina: Um aminoácido importante para o tratamento da ansiedade e enxaquecas. Além disso, é importante para a produção de energia nas células e como antifatigante. Use-a de preferência junto com o magnésio e as vitaminas do complexo B. Dose sugerida: 200 a 1000mg.

Carnitina: Um aminoácido importante para o tratamento das enxaquecas. Além disso, é importante para a produção de energia nas células e como antifatigante. Use de preferência na forma líquida e em jejum. Associado aos nutrientes acima citados. Dose sugerida: 1000 a 2000mg.

Coenzima Q.10: Importante para o tratamento das enxaquecas. Além disso, é importante para a produção de energia nas células e como antifatigante. Use de preferência associada aos nutrientes acima citados. Dose sugerida: 100 a 200mg/dia.

Ácidos Graxos Ômegas-3 e 6: Estudos concluíram que mesmo a enxaqueca grave pode ser tratada com ômegas-3 e 6. Dose sugerida de ômega-3: 1000mg a 2000mg – 2 x Dia. Óleo de linhaça, borragem e prímula da noite são boas fontes de ômega-6. Use-o como recomendado pelo fabricante.

Leia mais em:  Programa Anti-Estresse

Alimentos que desintoxicam

Alimentos que protegem o cérebro

Artigo: Dr. Frederico Pretti e Dr. Antonio Geraldo Camara



Postado em 27 de setembro de 2020, por Frederico Pretti
Tags: , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Fibromialgia

 

A Fibromialgia é uma doença crônica que causa fortes dores em várias partes do corpo e geralmente vem acompanhada de um quadro de estresse, depressão, insônia e fadiga crônica.

A Fibromialgia é uma doença misteriosa, pois não apresenta nenhuma alteração em exames de sangue, radiografia, ultrassonografia, tomografia e ressonância magnética. Sendo considerada portanto, por muitos pesquisadores, como uma doença de natureza psicossomática.

Alguns pesquisadores acreditam que pode haver uma alteração cerebral nas áreas responsáveis pela percepção da dor. Assim, estímulos indolores para a maioria das pessoas, seriam interpretados pelo cérebro dos portadores de fibromialgia, como dor.

A Fibromialgia é uma doença seis vezes mais comum em mulheres entre os 30 e 55 anos de idade. Em 50% dos casos, ela se inicia após um forte estresse psicológico. Nos outros 50% dos casos, entretanto, não se consegue identificar a causa.

Além disso, ela ocorre com maior frequência em pacientes com história familiar de fibromialgia, que são oito vezes mais propensos de desenvolver a doença.

Embora, os pacientes com fibromialgia, possam piorar a intensidade das dores diante de novas situações de estresse, eles conseguem se manter ativos e com bom controle dos seus sintomas, quando tratados corretamente.

Principais Sintomas da Fibromialgia

Dores no corpo: O principal sintoma são as dores constantes no corpo todo, que podem acometer músculos, ligamentos e tendões, e são sensíveis ao toque. Portanto, eles geralmente dormem e acordam com dor.

Dor de cabeça: Tipo enxaqueca ou cefaleia tensional, é um sintoma comum e acomete mais de 50% dos pacientes com fibromialgia.

Fadiga crônica e constante: É outro sintoma muito comum, o cansaço é mais forte de manhã ao acordar, no entanto, ele pode ser também bastante incômodo no final da tarde.

Sono: Comumente também apresentam um sono entrecortado e não reparador, além disso, muitos acordam e não conseguem voltar a dormir, agravando portanto a sensação de fadiga.

Tigger Points: Um dos critérios para o diagnóstico da fibromialgia é a dor ao toque em pelo menos 11 dos 18 pontos, vistos na imagem abaixo:

fibromialgia

 

Sintomas que geralmente acompanham a Fibromialgia

  • Tontura
  • Palpitação.
  • Olhos secos.
  • Perda da libido.
  • Formigamentos.
  • Cólicas menstruais intensas.
  • Flutuações constante de peso.
  • Sensação inchaço nas articulações.
  • Depressão, angústia, ansiedade e mal humor.
  • Dores inespecificas no tórax, abdome e pelve.
  • Sintomas urinários, como ardência e urgência para urinar.

Tratamento da Fibromialgia

  • O apoio de uma equipe multidisciplinar é essencial para o tratamento da fibromialgia: Médico, fisioterapeuta, psicólogo e nutricionista.
  • Exercício aeróbico, musculação, pilates, hidroginástica em piscina aquecida, ioga e meditação, contribuem de forma significativa para o controle das dores, além disso, reduz o estresse e melhora, consequentemente, a qualidade do sono, a disposição e a sensação de cansaço.
  • A redução do consumo de bebida alcoólica,  tabaco e cafeína, se mostrou eficiente na redução dos sintomas da fibromialgia.
  • Uma alimentação mais cetogênica e sem glúten, também se mostrou eficaz na redução dos sintomas da fibromialgia.
  • Antidepressivos, anticonvulsivantes e estabilizadores do humor, vem sendo usados com sucesso no tratamento da fibromialgia.
  • Anti-inflamatórios, analgésicos e relaxantes musculares, são pouco eficazes. Entretanto, quando associados aos antidepressivos, anticonvulsivantes e estabilizadores do humor, sua eficiência aumenta.

Tratamento Ortomolecular da Fibromialgia – 

  • UCII.
  • MSM.
  • DMSO.
  • Ácido málico.
  • Vitamina C
  • Vitamina D
  • Vitaminas do Complexo B: B1, B2, B3, B5, B6, B9 e B12.
  • Minerais: Magnésio malato, glicinato e inositol + Zinco e cobre.
  • Aminoácidos: Carnitina, leucina, creatina, taurina, lisina e prolina.
  • Enzimas mitocondriais: NADH, PQQ, CoQ.10, ubiquinol, fisetina, benfotiamina e ácido lipóico.

Quando utilizados por via oral ou endovenosa, o conjunto de nutrientes e substâncias acima mencionadas, podem contribuir de forma efetiva no tratamento da fibromialgia:

Programa Anti-Estresse

Programa de Revitalização Intensiva

Artigo: Dr. Frederico Pretti



Postado em 20 de setembro de 2020, por Frederico Pretti
Tags: , , , , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Como retardar o envelhecimento

Como retardar o envelhecimento: Um estudo da The Lancet, uma das mais importante revistas médicas, avaliou a importância do comprimento dos telômeros na longevidade humana, em um grupo acima de 60 anos.

E descobriu que, pessoas com telômeros mais curtos tinham uma taxa de mortalidade maior, por exemplo: incidência 3 vezes maior de doenças cardíacas e 8 vezes maior doenças infecciosas, quando comparados com aqueles que possuíam telômeros mais longos.

Como retardar o envelhecimento

Telômeros: A chave mestra de como retardar o envelhecimento

Os telômeros são estruturas que contém em suas bases de DNA, o segredo do envelhecimento.

Uma vida mais longa e saudável está relacionada com comprimento dos telômeros. Portanto,  a preservação do comprimento dos telômeros, é essencial para saúde e bem-estar que tanto desejamos.

Quando o comprimento dos telômeros atinge o nível crítico, vária funções das células ficam comprometidas, como por exemplo: o processo de renovação e replicação celular, acelerando portanto, o processo de envelhecimento.

O que causa o encurtamento dos telômeros e acelera o envelhecimento

São vários os fatores que aceleram o encurtamento dos telômeros, como por exemplo: o excesso de radicais livres, inflamação crônica, hormônios, drogas, metais tóxicos, poluição ambiental, hábitos alimentares inadequados, carências nutricionais, gordura trans, além disso, doenças como obesidade e diabetes mellitus.

No entanto, as células contêm a telomerase, uma enzima que naturalmente protege a integridade e o comprimento dos telômeros, combatendo o envelhecimento precoce.

Como preservar o comprimento dos telômeros e retardar o envelhecimento

Nos últimos anos, a ciência vêm acumulado um impressionante conjunto de evidências sobre o assunto.

Vários também são os fatores  que são capazes de manter e até mesmo estimular o comprimento dos telômeros.

Além disso, há evidências significativas, sobre a importância das vitaminas,  bioflavonoides, carotenoides, ômegas e outras substâncias, na preservação do comprimento dos telômeros e prevenção do envelhecimento.

Vitaminas do Complexo B

Como retardar o envelhecimento

 

 

 

 

O Complexo B, especialmente as vitaminas B6, B9 e B12, são fatores essenciais para o metabolismo das moléculas que compõem o DNA.

É comum encontrarmos pessoas com níveis insuficientes das vitaminas B6, B9 e B12, e consequentemente com elevação da Homocisteína e Proteína C Reativa, no sangue.

A Homocisteína e a Proteína C Reativa, quando elevadas, aumentam o risco de doenças cardiovasculares, cerebrovasculares e neurodegenerativas.

O Complexo, especialmente as vitaminas B1, B2, B3, B5, B6, B9 e B12, são essenciais para a função mitocondrial, e consequentemente, para a produção de energia em todas as células do organismo.

Por exemplo: Um atleta profissional com 35 anos, não tem mais condições de competir em nível de igualdade com atletas mais jovens. Uma demonstração clara do processo de envelhecimento e perda do seu potencial de produção de energia celular.

Vitamina D – Clique aqui se você quer saber mais: Vitamina D

 

 

 

 

Níveis mais elevados de vitamina D têm sido associado ao aumento do comprimento do telômeros. Por exemplo, pacientes em hemodiálise,  quando tratados com Vitamina D tem telômeros mais longos do que os pacientes não tratados.

Um estudo bem amplo, mostrou que a suplementação de 2.000 unidades por dia de Vitamina D, em um grupo de americanos com sobrepeso, aumentou a atividade da telomerase em 19%, e consequentemente um aumento do comprimento dos telômeros.

Portanto, a vitamina D desempenha um importante papel na prevenção do envelhecimento.

A Vitamina D é uma das vitaminas mais importantes para a saúde, bem-estar e longevidade. Ela é essencial para o perfeito funcionamento do cérebro, coração e sistema imunológico, além disso, ela ainda nos protege contra a osteoporose e o câncer.

Todas as células do corpo humano tem receptores de vitamina D. Portanto, ela atua no organismo todo, e sua multiplicidade de funções é tão grande, que ela está sendo considerada um hormônio, e não uma vitamina.

Vitamina C – Clique aqui se você quer saber maisVitamina C

Como retardar o envelhecimento

 

 

 

 

A Vitamina C, demonstrou em estudos recentes, ser capaz de reduzir o encurtamento dos telômeros em até 62%, e consequentemente retardar o envelhecimento.

Também demonstrou nesse estudo, ser capaz de aumentar de forma significativa o tempo de vida das células. Além disso, a vitamina C reduziu várias alterações físicas associadas ao envelhecimento, como resultado da redução drástica do nível de radicais livres.

A Vitamina C foi capaz de retardar o envelhecimento cardiovascular, ao aumentar o comprimento dos telômeros em culturas de células de músculo cardíaco humano.

Uma demonstração dramática da sua importância na desaceleração do envelhecimento foi fornecido por um estudo de modelo celular da Síndrome de Werner.

A Síndrome de Werner provoca um envelhecimento prematuro. Entretanto, após numerosos estudos, ficou evidente a capacidade da vitamina C em retardar o envelhecimento.

O mais importante, ela impediu a morte celular prematura, alterando a expressão de genes envolvidos na manutenção da integridade do DNA.

A Vitamina C, segundo os cientistas que participaram desse estudo sobre a Síndrome de Werner, promoveu de um modo nunca antes visto as características do envelhecimento precoce das células.

As células tratadas com vitamina C desenvolveram telômeros bem mais longos, redução do estresse oxidativo, redução de citocinas inflamatórias e melhora da integridade do DNA, todas características comuns a células mais jovens.

Vitamina E

Como retardar o envelhecimentoA Vitamina E, especialmente na forma de Alfa-tocoferol, reduziu drasticamente o encurtamento dos telômeros e o envelhecimento, em vários estudos, mesmo na presença de moléculas fortemente oxidante.

Além disso, ela aumenta os níveis de telomerase, enzima que previne o encurtamento dos telômeros.

O tratamento de células humanas envelhecidas com uma formulação rica em tocotrienol, uma forma de vitamina E, também reverteu o encurtamento dos telômeros, os danos ao DNA e o envelhecimento das células. o ponto delas se assemelharem às células mais jovens, com menos , e mais células prontas para uma replicação saudável. Novamente, os efeitos foram atribuídos ao aumento da atividade da telomerase.

Ômegas-3

 

 

 

 

Um estudo, mediu o comprimento dos telômeros em humanos, em uso de1.250 a 2.500mg/dia de Ômega-3, ricos em EPA e DHA. O resultado mostrou um aumento do comprimento dos telômeros e redução do processo de envelhecimento.

Os cientistas atribuíram esse aumento do comprimento dos telômeros à redução de citocinas inflamatórias e redução do estresse oxidativo.

Principais Fontes de Ômega-3: Peixes de Mar, especialmente o atum e a sardinha, além de nozes e sementes de linhaça

Carotenoides

Como retardar o envelhecimento

 

 

 

 

Os carotenoides são moléculas de pigmento amarelo, alaranjado e vermelho, presentes nos alimentos, como: cenoura, abóbora, tomate, laranja, mamão, manga, pequi, açafrão, curry, urucum, pimentões e pimentas.

Estudos demonstraram que pessoas idosas com níveis sanguíneos mais elevados de carotenoides, luteína e zeaxantina, possuem telômeros significativamente mais longos do que aqueles com níveis mais baixos.

Em jovens acima de 20 anos, a duplicação dos níveis sanguíneos de carotenoides, aumentou o comprimento dos telômeros em 5% a 8%.

Embora a ingestão de carotenoides deixem os telômeros mais longos, esse efeito parece depender em certa medida, de fatores genéticos relacionados com o metabolismo dos carotenoides.

Os carotenoides também são potentes antioxidantes e precursores da Vitamina A.

Artigo: Dr. Frederico Pretti



Postado em 13 de setembro de 2020, por  
Tags: , , , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Vitaminas engordam?

Vitaminas não engordam

Algumas vitaminas do complexo B, como a B1 e B12, quando usadas em excesso, podem aumentar o apetite, mas não necessariamente o desejo por doces e carboidratos em geral.

Durante a gestação, amamentação, estresse e doenças, o organismo necessita de uma maior quantidade de vitaminas, e quem fuma também.

As vitaminas são, em sua grande maioria, nutrientes que organismo humano não consegue sintetizar, e portanto, devem ser ingeridas através da alimentação.

As vitaminas são essenciais para o crescimento, desenvolvimento e manutenção da vida. Elas  desempenham uma grande variedade de funções atuando como enzimas, coenzimas e co-fatores de uma infinidade de reações químicas que ocorrem no organismo a cada instante.

Elas são importantes para o metabolismo de proteínas, gorduras e carboidratos, na produção de neurotransmissores cerebrais, produção de anticorpos, síntese de colágeno, cicatrização, controle dos radicais livres, síntese e reparo do DNA, entre tantas outras funções.

Qual o melhor horário para toma-las?

As vitaminas solúveis em gordura: A, D, E e K, são melhores absorvidas quando ingeridas junto com uma alimentação que contenha um pouco de gordura, ou quando ingeridas junto com um colher de chá de azeite extravirgem ou uma cápsula de ômega.

As vitaminas solúveis em água podem ser tomadas com água e fora das refeições. Mas recomendo que sejam usadas após as principais refeições. Quando ingeridas com estômago os complexos vitamínicos podem provocar náusea e dor gástrica, em pessoas com estômago mais sensível.

Posso fazer uso delas ao mesmo tempo?

Pode, porque uma não interfere na absorção da outra. Mas é preferível fracioná-las, tomando uma parte após o desjejum e outra parte após o jantar. O fracionamento sempre melhora a absorção dos nutrientes.

Elas devem ser usadas sozinhas ou sempre em forma de um complexo?

Você pode fazer uso apenas das Vit. C, D e Zinco, para melhorar a imunidade. Você também pode fazer uso apenas da Vit. C, Lisina, Prolina, Zinco, Cobre e Manganês, para estimular a síntese de colágeno, ou usar apenas a Vit.E, B6 e Ômega-6, para reduzir a formação de nódulos mamários e a tensão pré-menstrual.

O tratamento ortomolecular pressupõe uma abordagem múltipla e sistêmica, que busca o equilíbrio químico e hormonal, o controle dos radicais livres,  inflamação, estresse e envelhecimento. Para atuar de forma tão ampla, é necessário o uso de vitaminas, minerais, aminoácidos, ômegas e outras substâncias.

Gestantes e lactantes podem fazer uso de vitaminas?

Podem sim, desde que acompanhadas por um médico.

A partir de que idade uma pessoa pode fazer uso de vitaminas?

Não há uma idade definida, podendo ser utilizada até mesmo em lactentes.

As vitaminas podem mudar a cor da urina e das fezes?

SIM. Especialmente a Vit. C e Complexo B, que deixam a urina mais amarelada e com odor mais forte. Quando isso ocorrer, aumente a ingestão de água.

As vitaminas podem retardar o envelhecimento?

As vitaminas controlam a formação de radicais livres, reduz a infamação e protege contra o encurtamento dos telômeros, três mecanismos envolvidos diretamente no processo de envelhecimento. Sempre aliado a um estilo de vida mais saudável.

Você que saber mais sobre: Vitamina C

Você que saber mais sobre: Vitamina D

Leia também: Longevidade Saudável

 

Artigo: Dr. Frederico Pretti



Postado em 31 de agosto de 2020, por Frederico Pretti
Tags: , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Estresse engorda?

SIM. Estresse engorda.

O Estresse aumenta o cortisol e reduz os níveis de serotonina e dopamina no cérebro, causando aumento do desejo e compulsão pelos carboidratos: chocolate, doces, pães, bolos, biscoitos, massas, arroz, batatas, etc.

O Cortisol é um hormônio essencial à vida. Ele é produzido pela glândula adrenal, ou seja pela supra renal, em resposta a qualquer situação que lhe cause estresse. Ele mantém o seu corpo sempre em alerta, pronto para enfrentar qualquer situação de perigo ou ameaça.

Portanto, o  excesso de estresse, elevar os níveis de cortisol e pode causar sérios danos ao organismo, especialmente ao cérebro, como por exemplo: depressão, angústia, ansiedade, insônia, fibromialgia e síndrome da fadiga crônica.

Mas pode causar também: doenças neurodegenerativas, doenças cardiovasculares, diabetes mellitus e o aumento de peso.

O Cortisol estimula o acúmulo de gordura abdominal. E mobiliza o glicogênio armazenado no fígado para o sangue estimulando consequentemente a produção de insulina, o desejo pelos carboidratos e o depósito de gordura abdominal.

O Cortisol interfere e sofre interferência de outros hormônios, como por exemplo: estradiol, testosterona, hormônios das tireóide e do crescimento, causando portanto, um distúrbio metabólico complexo e aumento do peso.

As mulheres, entretanto, tem um outro sério problema: o uso de anticoncepcionais e da reposição hormonal na menopausa. Ambos contém estradiol, hormônio que pode aumentar de forma significativa o cortisol.

Por exemplo, anticoncepcionais mesmo que de uso local, como o nuvaring, pode aumentar em muito o cortisol. Para esclarecer melhor, cito o caso de uma paciente cujo cortisol chegou a 60 µg/dL, quando o normal é no máximo 22,5 µg/dL.

A Melatonina produzida durante a noite controla a produção do cortisol. Assim como, a produção do cortisol durante o dia controla a produção da melatonina. Portanto, o excesso de cortisol pode ser controlado pela melatonina, desde que ele não seja causado pelo uso de anticoncepcionais e reposição hormonal.

Porque o estresse aumenta o desejo por doces e carboidratos?

Porque quanto maior o estresse, maior a necessidade de produção de serotonina no cérebro. Os carboidratos, especialmente doces e chocolates, aumentam a produção de serotonina e dopamina, propiciando uma maior sensação de prazer e capacidade de enfrentar o estresse, sem entrar em depressão, angustia, ansiedade, insônia, mau humor, nervosismo e irritabilidade.

O que provoca estresse?

Frustração, infelicidade, insegurança, depressão, angustia, ansiedade, insônia, medos, desemprego, dificuldade econômica, pressão social, emocional e a busca pelo sucesso, além perdas e doenças, levam as pessoas ao pior tipo de estresse que existe, o estresse crônico. Aquele, que você dorme e acorda com ele, todos os dias de sua vida. Por isso, é considerado por muitos pesquisadores, como a doença século.

Como reduzir o estresse?

Uma alimentação mais saudável, composta por alimentos que sejam capazes reduzir o estresse e aumentar a oferta de triptofano, pode ajudar na redução do cortisol, e no aumento da serotonina e dopamina, contribuindo para a solução do problema.

A atividade física é capaz de melhorar em 30% a produção de todos os neurotransmissores cerebrais, inclusive as endorfinas e metaencefalinas, contribuindo de forma decisiva na redução do estresse e do cortisol. A atividade física, feita na medida certa, combate a depressão, angustia, ansiedade e a insônia, aumenta a sensação de prazer, reduz a compulsão e estimula  o metabolismo corporal, sendo portanto decisiva na perda e controle do peso.

Meditação, tai chi chuan, yoga, my fulness, entre outras técnicas, são comprovadamente capazes de reduzir o estresse, e pode contribuir para a perda e controle do peso.

Nutrientes e plantas medicinais que reduzem o estresse:

  • Minerais: Magnésio e Cálcio.
  • Hormônios: Melatonina e Ocitocina.
  • Vitaminas: Vitaminas do Complexo B, C e D.
  • Aminoácidos: Triptofano, 5- Hidroxitriptofano, Taurina, Teanina, Lisina e Lactium.
  • Chás: Maracujá, Maçã, Camomila, Lavanda, Jasmim, Erva cidreira, Alecrim e Manjericão.
  • Plantas Medicinais:  Relora, Ashwagandha, Rhodiola Rosea, Bacopa Monnieri, Hipericum Perforatum, Shizandra Chinensis, Passiflora, Valeriana, Mulungu, Humulus Lupulus, etc.

PENSE NISSO!!! O estresse só engorda, quem tem o que comer. Porque, quem não tem o que comer ou tem apenas o necessário para sobreviver, não engorda. O aumento de peso sempre tem a ver com o que você come , como come e quando come. Pode exemplo: o jejum intermitente, não emagrece, se você faz ele durante o dia e como à noite.

Artigo: Dr.Frederico Pretti



Postado em 10 de agosto de 2020, por Dra. Glesiane Alves 
Tags: , , , , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário




Últimos Posts



Posts mais visitados



Filtrar por temas



Depoimentos

F.G – 42 ANOS – Empresário

A Clínica Dr. Frederico Pretti é um grande exemplo de excelência e profissionalismo. Desde o primeiro contato, percebi a seriedade e o comprometimento de toda a equipe. Perdi 18 kg em um pouco mais de 2 meses fazendo o Programa de Emagrecimento Saudável,  e não fiz uso de nenhum medicamento para controlar o apetite, calmante […]*


*Os resultados podem variar de pessoa para pessoa.
Gastronomia - Confira nossas receitas