Ortoblog | Clínica Frederico Pretti - Saúde Ortomolecular | Nutrição, Prevenção e Revitalização

Gordura localizada, flacidez celulite

Essa é uma queixa comum e que incomoda muito as mulheres. Como se livrar daquele pneuzinho, daquela gordurinha abdominal ou daquela gordurinha da parte interna e externa da coxa, que teimam em continuar ali, mesmo você emagrecendo. Associada à gordura localizada vem a queixa relativa à celulite e flacidez, que quase sempre ocorrem nos mesmos locais.

Esse tipo de gordura é sempre a última a sair e exigem uma abordagem específica e mais especializada, como a criolipólise, lipoaspiração, etc. A gordura localizada, a celulite e a flacidez, são queixa mais comuns entre as mulheres porque estão em parte relacionadas à questão hormonal. O Homem, temo como seu hormônio principal a testosterona, que combate naturalmente combate a flacidez e a celulite, e concentra a gordura do homem especialmente no abdome.

Gordura localizada, celulite e flacidez tem solução?

SIM. É possível remodelar o seu corpo. Mas é necessário melhorar o seu ganho de massa muscular, reduzir o seu percentual de gordura corporal total e localizado, com uma mudança radical do seu estilo de vida, especialmente em relação aos seus hábitos alimentares e atividade física.

O aumento de peso, gordura localizada, celulite e flacidez, surge gradativamente em decorrência da genética, sedentarismo, maus hábitos alimentares, desequilíbrio hormonal, anticoncepcionais, estresse e elevação do cortisol.

A tendência ao ganho de peso, celulite, flacidez e gordura localizada pode estar geneticamente determinado. Mas você ja ouviu falar em “Epigenética”? Epigenética é conceito que cientificamente afirma que você pode modificar a sua expressão genética através do seu estilo de vida. Assim, genes nocivos à sua saúde podem não se expressar, se expressar de um modo mais suave ou se expressar mais tardiamente. Porque, 51% da sua probabilidade de viver mais e melhor, depende única e exclusivamente do seu estilo de vida, e apenas 17% da sua genética. Portanto, mãos à obra, você pode modificar o seu corpo, saúde, bem-estar e longevidade.

Você nasce com um gene, que pode se expressar logo nos primeiros anos de vida, permanecer adormecido até à sua adolescência ou até à sua vida adulta. Uma vez ativo esse gene diz ao seu corpo uma coisa muito simples de entender: todo excesso alimentar deve ser armazenado em forma de gordura. De um modo geral o metabolismo basal de uma mulher se situa entre 1200 e 1600 calorias por dia. Toda caloria que exceder o seu limite metabólico, vai ser armazenada em forma de gordura. Onde o seu corpo vai depositar a gordura está determinado geneticamente e hormonalmente. Simples não!!!

O aumento da gordura gera um processo inflamatório crônico e silencioso, que por sua vez aumenta a sua predisposição ao aumento do peso, gordura localizada, celulite e vários outros problemas de saúde. Portanto, emagrecer não é uma questão estética, mas um processo de prevenção e melhora da sua autoestima.

O que fazer?

  1. Emagrecer, mas sem perder a sua massa muscular. Conheça o nosso programa de emagrecimento saudável.
  2. Aumentar a sua massa magra, reduzir a flacidez, gordura localizada e a celulite. Nesse momento é essencial o acompanhamento de um excelente personal training e a suplementação de nutrientes,  assim como uma delicada e personalizada modulação hormonal capaz de otimizar os nossos objetivos. Conheça o nosso programa programa remodelação corporal.
  3. Por último, como a cereja do bolo, você pode procurar um especialista e fazer procedimentos localizados como a criolipólise, lipoaspiração, entre outros, para um arremate final.

Texto: Dr. Frederico Pretti e Dr. Antonio Geraldo Camara



Postado em 20 de junho de 2020, por  
Tags: , , , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Colágeno, saúde e beleza

O que é Colágeno?

 O colágeno é uma proteína estrutural fundamental para a saúde e beleza da pele, cabelos e unhas. Ele é essencial para a mobilidade e elasticidade da pele, músculos, ligamentos, tendões e articulações. O colágeno desempenha também, um importante papel no encarceramento das células cancerosas, em forma de um tumor, para impedir o seu crescimento e disseminação.

O colágeno representa 70% de toda a proteína do corpo. A partir dos 25 anos de idade a capacidade de produção de colágeno começa o seu declínio gradativo,

contribuindo ao longo dos anos, para o surgimento das rugas de expressão, flacidez facial e corporal, ressecamento das cartilagens e articulações, perda da mobilidade e funcionalidade corporal.

 

O que acelera a perda de Colágeno

O excesso de exposição solar, sem proteção, envelhece precocemente a pele. Os raios solares destroem as fibras de colágeno e elastina da pele através de um processo denominado elastose solar, deixando a pele mais fina, amarelada, com vasos e poros mais dilatados, além de estimular o aparecimento de rugas.

Estresse, tabagismo, álcool, drogas, agrotóxicos e poluentes ambientais, estimulam a formação de radicais livres e a degeneração das fibras de colágeno e elastina, acelerando o processo de envelhecimento da pele.

Hábitos alimentares inadequados, o consumo exagerado de açúcar e dietas muito restritivas por tempo prolongado, com baixa oferta de zinco, cobre, manganês, lisina, prolina, vitaminas A, D, E, C e Complexo B, também também aceleram a perda de colágeno e elastina.

Porque e como estimular a síntese de Colágeno

 Estimular a síntese de colágeno é o grande segredo para restaurar a saúde e a beleza da pele, reduzir a flacidez e as linhas de expressão, assim como melhorar a hidratação e a textura de unhas e cabelos.

Estimular a síntese de colágeno é essencial para a manutenção e restauração da elasticidade e mobilidade de articulações, cartilagens, ligamentos, tendões e músculos.

Estimular a síntese de colágeno também é fundamental para a elasticidade dos vasos sanguíneos e a saúde cardiovascular, assim como para a prevenção e tratamento do câncer.

Um estilo de vida mais saudável, com uma alimentação mais natural rica em fibras, vitaminas, minerais e aminoácidos, são essenciais para estimular a síntese de colágeno e retardar o processo de envelhecimento.

Vitamina C, lisina, prolina, zinco, cobre e manganês, são nutrientes essenciais para a síntese de colágeno.

Você pode utilizar o colágeno hidrolisado como fonte de lisina, prolina, glicina e hidroxiprolina, na dose de 10 gramas, 1-2 vezes por dia, e de preferência fora das refeições

Nutrientes que estimulam a síntese de Colágeno

Vitamina C     – 3 a 9 gramas/dia

Lisina              – 3 a 9 gramas/dia

Prolina            – 1 a 6 gramas/dia

Zinco               – 15 a 35 miligramas/dia

Cobre              – 1 a 2 miligramas/dia

Manganês      – 2 a 3 miligramas/dia

Sinais de que você pode estar com carência de Colágeno

  • Unhas mais secas e quebradiças;
  • Pele mais ressecada, craquelada e fina;
  • Cabelos mais secos, finos, quebradiças e sem brilho;
  • Aumento das rugas faciais.
  • Aumento das linhas e sulcos faciais de expressão.
  • Flacidez e perda de elasticidade da pele, especialmente na face.
  • Perda da mobilidade e elasticidade das articulações, ligamento e tendões

Principais fontes de Colágeno

 As carnes são as principais fontes de colágeno. A gelatina, uma sobremesa saborosa, refrescante e dietética, também é uma fonte de colágeno, e ainda ajuda a combater aquela vontade aguda de comer doces e guloseimas.

Colágeno vegetal não existe, porque todos os suplementos de colágeno são de origem animal, mas os veganos podem fazer uso de suplementos proteicos provenientes da ervilha e coco, e paralelamente aumentar a ingestão de zinco, cobre e vitamina C, para estimular a síntese de colágeno

Diferença entre Colágeno e Whey Protein

 O que caracteriza a proteína do colágeno é uma maior concentração de prolina, hidroxiprolina, lisina e glicina, aminoácidos que estimulam a síntese de colágeno e deixam a pele, cabelos e unhas, mais bem hidratadas e bonitas.

O que caracteriza o whey protein – a proteína do soro do leite, é uma maior concentração de leucina, isoleucina, valina, aminoácidos que estimulam a síntese e a performance muscular.

Dermocosméticos

O uso de dermocosméticos também pode estimular a produção de colágeno. Procure produtos que contenham ativos como o Retinol e Alfa-hidroxiácidos, como o que estimula a produção de colágeno, reduz as rugas e deixa a pele ao redor dos olhos mais firme, proporcionando um rejuvenescimento de dentro para fora.

Os tratamentos noturnos também podem ser de grande valia. Escolha dermocosméticos com Vitamina C, Ácido hialurônico e Ácido glicólico, capazes de impedir a destruição e estimular a produção de colágeno.

A máscara gel de colágeno, revitaliza, remineraliza, aumenta a firmeza e a elasticidade da pele. A Máscara de Colágeno com Vitamina C e Ácido hialurônico aumenta a hidratação das camadas mais profundas da pele, estimula a produção de colágeno, combate a ação dos radicais livres, retarda o envelhecimento e devolve a luminosidade à sua pele

Artigo escrito por:

Dr. Frederico Pretti – Tel: (31) 98219-7475 – Belo Horizonte

Dr. Antonio Geraldo Camara – Tel: (16) 99622-8080 – Ribeirão Preto

Dr. Eduardo Poletti Camara –  Tel: (16) 99622-8080 – Ribeirão Preto



Postado em 25 de maio de 2020, por Frederico Pretti
Tags: , , , , , , , , , , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Vitamina C – Surpreendente!!!

Todo animal consegue produzir a Vitamina C que necessita. Porém, ao longo da evolução, o ser humano perdeu essa capacidade. Como não conseguimos produzir e nem armazenar, é necessário ingeri-la diariamente através de frutas e verduras frescas.

A VITAMINA C é imprescindível para a saúde do organismo como um todo. Sua absorção pelo sistema digestivo decresce com a idade, não sendo incomum encontrar baixos níveis séricos dessa vitamina em idosos.

Estresse, poluentes ambientais, agrotóxicos, drogas, álcool e fumo, aumentam de forma significativa a necessidade de Vitamina C. Fumantes e mulheres em uso de anticoncepcional, têm usualmente um nível sérico menor de Vitamina C – 24 a 31%.

Infecções graves consomem rapidamente a Vitamina C presente nos leucócitos, comprometendo a produção de anticorpos e outros componentes importantes do sistema imunológico, reduzindo capacidade do organismo de combater a infecção.

A VITAMINA C fortalece e estimula o sistema imunológico a produzir anticorpos contra vírus, fungos e bactérias. O aumento dos níveis séricos da Vitamina C reduz a incidência de gripes, resfriados, sinusites, faringites e a predisposição a alergias.

A VITAMINA C é essencial para a síntese de colágeno. O colágeno é a proteína responsável pela beleza da pele, cabelos e unhas, prevenção de rugas e linhas faciais de expressão e redução da flacidez, especialmente do rosto. O colágeno também é crucial para a cicatrização e a reparação de lesão em todos os tecidos corporais, como pele músculos e artérias.

A VITAMINA C é um potente antioxidante e desempenha um papel importantíssimo no combate aos radicais livres. O controle da formação dos radicais livres é essencial na prevenção do envelhecimento e na proteção de olhos, cérebro e coração. Sua ação na síntese do colágeno, reparação tecidual e combate aos radicais livres faz com que ela seja uma importante aliada na prevenção do câncer, da aterosclerose cerebral e coronariana, auxiliando na prevenção das demências e do infarto agudo do miocárdio.

Potencial terapêutico da VITAMINA C

Circunferência cintura-quadril e risco cardiovascular: Um estudo publicado em dezembro de 2005 no Diário Americano de Nutrição Clínica chamou a atenção entre níveis séricos mais baixos de VITAMINA C e o aumento da circunferência cintura-quadril. Pesquisas publicadas recentemente sugerem que o aumento desse parâmetro pode ser um melhor preditor de doenças cardiovasculares que o índice de massa corpórea (IMC). Indicando que a distribuição da gordura corporal pode ser mais importante que a obesidade por si só.

Obesidade: Dados analisados por pesquisadores britânicos de Estudantes da European Early Research in Cancer and Nutrition (EPIC), correlacionaram níveis séricos baixos de VITAMINA C com o aumento do peso, aumento da circunferência cintura-quadril e aumento do IMC. Parece haver uma correlação entre um corpo mais magro e uma melhor distribuição da gordura corporal, com um nível sérico mais adequado de VITAMINA C.

Doenças cerebrovasculares: um estudo prospectivo, que acompanhou mais de 2.000 moradores de uma comunidade rural japonesa por 20 anos, descobriu que o risco de derrame nas pessoas que apresentavam níveis séricos mais elevados de Vitamina C era 29% menor.

Doenças degenerativas cerebrais: Em um artigo publicado em junho de 2006 no Diário de Nutrição, os investigadores da Universidade de Vanderbilt in Nashville, no Tennessee, demonstraram que uma dieta deficiente em VITAMINA C e E, causou em um curto espaço de tempo (5 a 15 dias), sérios danos ao sistema nervoso central de animais.

Degeneração macular relacionada a idade: Um estudo publicado em dezembro de 2005 no Diário da Associação Médica Americana concluiu que pacientes com dietas ricas em VITAMINAS C, A, E, Betacaroteno e Zinco,  tem um risco significativamente menor de desenvolver uma degeneração macular relacionada à idade, a causa mais comum de cegueira permanente.

Asma brônquica e Alergias respiratórias: A Vitamina C reduz a liberação de histamina, substância mediadora dos processos alérgicos.

Câncer de mama: Em um estudo in vitro, publicado no Diário de Bioquímica Alimentar em maio de 2006, investigadores coreanos demonstraram que a associação das VITAMINAS C e E, foram capazes de reduzir em 75% a proliferação de células cancerígenas de mama.

Dois grandes estudos prospectivos descobriram que a ingestão de vitamina C está reduz a incidência de câncer de mama em certos subgrupos. Em um estudo de saúde de enfermeiras na pré-menopausa, com histórico familiar de câncer de mama, que consumiram uma média de 205 mg/dia de vitamina C provenientes de alimentos, tiveram um rico 63% menor de câncer de mama, do que aquelas que consumiram uma média de 70 mg/dia.

Câncer: Dados analisados por pesquisadores britânicos de Estudantes da European Early Research in Cancer and Nutrition (EPIC), correlacionaram níveis séricos baixos de VITAMINA C com o aumento da incidência de câncer.

Microarray, descobriu que o tratamento combinado das VITAMINAS C e A, promoveu uma regulação para cima de 29 genes implicados na diferenciação, inibição, e proliferação celular, assim como no aumento da atividade da glutationa-s-transferase e superóxido dismutase. Todos fatores decisivos no combate ao câncer.

A VITAMINA C bloqueia a formação de nitrosaminas no intestino, compostos potencialmente cancerígenos, especialmente para a bexiga e o sistema digestivo. As nitrosaminas são produzidas a partir dos nitratos contidos nos embutidos como presunto, salsicha, mortadela e linguiça. Outros compostos, potencialmente cancerígenos são bloqueados pela VITAMINA C, como os óleos comestíveis reaquecidos e o benzopireno, presente nas carnes e pescados defumados.

Esquizofrenia: Os Drs. Abraham Hoffer e Humphry Osmond, ambos do Canadá, demonstraram que formas oxidadas de adrenalina produzem alucinação em alguns esquizofrênicos. A VITAMINA C previne a oxidação da adrenalina e preconizam a administração de doses de vitamina C entre 3 a 6 g/dia

10 Razões para você fazer uso de VITAMINA C

Essencial para cicatrização.

Essencial para a saúde gengival.

Essencial para síntese de colágeno.

Essencial para o combate ao câncer.

Essencial para a saúde muscular e articular.

Essencial para a beleza da pele, cabelo e unhas.

Essencial para a síntese e reparação dos tecidos.

Essencial para o sistema antioxidante e controle dos radicais livres.

Essencial para o sistema antioxidante e o combate aos radicais livres.

Essencial para o sistema imunológico e o combate a vírus, fungos e bactérias.

 

Sinais de que você pode estar com carência de VITAMINA C

Flacidez facial.

Alergia respiratória

Dificuldade de cicatrização.

Pele, cabelo e unhas ressecadas.

Dores articulares.

Ressecamento osteoarticular.

Sangramento e infecções gengivais recorrentes.

imunidade baixa com herpes labial e cutâneo recorrentes.

Imunidade baixa com candidíase e herpes vaginal recorrentes.

Imunidade baixa com resfriado, sinusite, faringite e amigdalite recorrentes.

 

Algumas considerações sobre a VITAMINA C

Vitamina C melhora a absorção do ferro.

Vitamina C reduz a coagulabilidade sanguínea.

Vitamina C sempre deve ser usada junto com o bioflavonóides.

Vitamina C sempre deve ser usada com magnésio em portadores de cálculo renal.

Quem fuma precisa de mais Vitamina C.

Quem usa anticoncepcional precisa de mais Vitamina C.

 

Melhores fontes de VITAMINA C – P/100 gramas do Alimento

Camu-camu – 2880mg

Acerola – 1790mg

Caju – 219mg

Goiabas – 200mg

Pimentas – 200mg

Pimentão amarelo – 200mg

Pimentão vermelho – 158mg

Salsinha – 133mg

Mexerica – 112mg

Mamão formosa – 78mg

Kiwi – 70mg

Manga – 65mg

Morango – 63mg

Laranja – 53mg

Tomate – 18mg

Suco de limão – 46mg

Suco de laranja – 50mg

Suco de abacaxi – 11mg

 

Observação: A Vitamina C é extremamente sensível ao calor. Vários outros alimentos como brócolis, espinafre, batata doce, entre outros, contém também a VITAMINA C. Mas ao sofrerem ação do calor, durante o seu preparo, perdem praticamente todo o seu conteúdo de Vitamina C.

Suplementação de VITAMINA C

A dose mínima recomendada é de 500mg/dia. Mas pode chegar a 10 gramas por dia, de acordo com cada caso. Dose elevadas devem ser fracionadas ao longo do dia, para melhorar a absorção e reduzir a irritabilidade gástrica.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada aos bioflavonoides, como quercetina, hesperidina e rutina. Porque eles potencializam a ação da Vitamina C.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada ao magnésio e à vitamina B6, em portadores de cálculo renal.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada às Vitaminas A e D + Betacaroteno + Quercetina + Glutamina + Lisina + Zinco + Cobre + Selênio, quando a intenção for o fortalecimento do sistema imunológico. A Arginina pode usada, especialmente nas mulheres portadoras de candidíase vagina, mas não deve ser utilizada nos portadores do herpes labial, cutâneo ou vaginal, pois ela aumenta a predisposição a infecções causadas por esse tipo de vírus.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada à Lisina + Prolina + Arginina + Zinco + Cobre + Manganês + Quercetina, quando a intenção for estimular a síntese de colágeno, e propiciar uma melhora da flacidez e elasticidade da pele, ligamentos, tendões e a mobilidade articular. Cabelo e unhas também vão se beneficiar dessa fórmula, mas nesse caso dever ser associado a Biotina + Silício + Pantotenato de cálcio.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada à Lisina + Prolina + Arginina + Zinco + Cobre + Manganês + Quercetina + Hesperidina + Rutina + Epigalocatequina + Curcumina + Gengibre + Enzimas Mitocondriais, quando a intenção for o tratamento do câncer.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada às Vitaminas A e E + Complexo B + Lisina + Prolina + Arginina + Zinco + Cobre + Manganês + Magnésio + Quercetina + Hesperidina + Rutina + Epigalocatequina + Curcumina + NAC + Enzimas Mitocondriais, quando a intenção for o tratamento de doenças cardiovasculares e neurodegenerativas.

A VITAMINA C sempre deve ser usada associada às Vitaminas A, D e E + Lisina + Prolina + Arginina + Taurina + Zinco + Cobre + Manganês + Quercetina + Hesperidina + Rutina + Epigalocatequina + Curcumina + NAC + DHA + Luteína + Zeaxantina + Enzimas Mitocondriais, quando a intenção for o tratamento das doenças degenerativas oculares.

A VITAMINA C sempre deve ser associada às Vitaminas A e E + Complexo B + Zinco + Cobre + Selênio + Manganês + Magnésio + Quercetina + NAC + Enzimas Mitocondriais, quando a intenção for melhorar a capacidade antioxidante do organismo, combater os radicais livres e retardar o processo de envelhecimento.

Atenção: Doses elevadas de Vitamina C pode causar dor gástrica, diarreia e dor nos rins, mesmo sem a presença de cálculo renal. Nesses casos recomenda-se reduzir a dose até o organismo se adaptar.

Atenção: O uso de doses elevadas de Vitamina C deve sempre ser acompanhada por um médico ortomolecular ou nutrólogo.

Artigo escrito por:

Dr. Frederico Pretti – Tel: (31) 98219-7475 – Belo Horizonte

Dr. Antonio Geraldo Camara – Tel: (16) 99622-8080 – Ribeirão Preto

Dr. Eduardo Poletti Camara –  Tel: (116) 99622-8080 – Ribeirão Preto

 



Postado em 28 de abril de 2020, por Frederico Pretti
Tags: , , , , , , , , , , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Vitamina D – Múltiplas Ações

A VITAMINA D foi descoberta na década de trinta e sua deficiência correlacionada ao raquitismo em crianças. Mais tarde descobriu-se que ela é um pró-hormônio que associado ao paratormônio (PTH), atua como importante regulador do metabolismo ósseo. Ao longo dos anos a literatura médica publicou uma infinidade de artigos científicos nas mais renomadas revistas médicas demonstrando que sua ação no corpo humano é muito mais ampla que imaginávamos.

A VITAMINA D é essencial para o perfeito funcionamento do sistema imunológico. A Vitamina D estimula a produção de células de defesa e substâncias com ação antimicrobianas, capazes de nos defender contra infecções causadas por vírus, fungos e bactérias.

A VITAMINA D também nos protege contra a depressão, ansiedade, câncer, diabetes mellitus, doenças autoimunes, neurodegenerativas e cardiovasculares, entre tantas outras.

Potencial Terapêutico da VITAMINA D

Gripes e resfriados: Estudo realizado em Cambridge, correlacionou a deficiência de Vitamina D com o aumento da incidência de doenças respiratórias em crianças. O tratamento com Vitamina D foi capaz de reverter a situação.

Psoríase: Estudo publicado pelo UK PubMed central, mostrou que análogos sintéticos da vitamina D são úteis no tratamento da psoríase.

Dor, fadiga e fraqueza muscular: O Dr. Michael F. Holick, especialista em Vitamina D, relata que esses são sintomas comuns em pacientes com deficiência de Vitamina D.

Dores ósseas e articulares: O Dr. Michael F. Holick, relata que esses são sintomas comuns em pacientes com deficiência de Vitamina D.

Doença renal crônica: O Dr. Michael F. Holick, relata que pacientes com doença renal crônica avançada, especialmente em diálise, são incapazes de produzir a forma ativa da Vitamina D.

Diabetes mellitus tipo I: Estudo realizado na Finlândia foi destaque no Lancet.com. 10.366 crianças receberam 2.000UI/Dia de vitamina D3 durante o primeiro ano de vida e foram monitoradas durante 31 anos. O risco de diabetes foi reduzido em 80%.

Asma brônquica: A vitamina D pode reduzir a gravidade das crises de asma. Pesquisas realizadas no Japão revelaram uma redução significativa das crises, nas crianças em idade escolar, que receberam uma suplementação de 1.200UI/Dia de Vitamina D.

Doenças cardiovasculares: Pesquisa realizada na Universidade de Harvard entre enfermeiros, concluiu que mulheres com níveis baixos de Vitamina D, menor que 17 ng/mL, tiveram um aumento de 67% no risco de desenvolverem hipertensão arterial e insuficiência cardíaca congestiva.

Depressão e ansiedade: Vem sendo associadas à deficiência de Vitamina D. Um estudo realizado em mulheres grávidas e crianças na primeira infância, concluiu ser essa vitamina essencial para o desenvolvimento cerebral da criança e seu comportamento emocional quando adulta.

Câncer: Pesquisadores da Georgetown University Medical Center, em Washington DC, descobriram uma ligação entre a ingestão elevada de Vitamina D e a redução do risco de câncer de mama. Esses resultados, apresentados na Associação Americana para Pesquisa do Câncer, revelaram: o aumento dos níveis séricos de vitamina D foi associado a uma redução de 75% em todos os tipos de câncer e 50% a menos de recorrência do câncer de mama.

Doença periodontal: Portadores de inflamação e sangramento gengival crônico, devem considerar aumentar o seu nível sanguíneo de Vitamina D. Porque ela aumenta a produção de defensinas e catelicidinas, compostos com propriedades antimicrobianas, que reduz o número de bactérias na boca.

10 Principais sintomas de deficiência de Vitamina D

Psoríase.

Depressão e ansiedade.

Dificuldade de cicatrização.

Dificuldade para emagrecer.

Dores nos ossos, articulações e coluna vertebral.

Fibromialgia – sinto dores musculares constantes.

Fadiga crônica – sinto um cansaço que não melhora.

Queda de cabelo e alopecia especialmente em mulheres.

Transpiração excessiva e súbita sem um motivo aparente

Estou sempre doente, com infecções e inflamações recorrentes.

 

Algumas Considerações sobre a Deficiência de Vitamina D

Nove, entre dez pessoas investigadas no mundo, tem deficiência de Vitamina D. Não é incomum encontramos pessoas cujo nível sanguíneo é inferior a 15 ng/mL. Estamos diante de uma pandemia de deficiência da Vitamina D.

A VITAMINA D é um nutriente proveniente de alimentos gordurosos, especialmente os de origem animal, como, carnes gordas, vísceras, peixes gordos e ovos. Com o intuito de proteger o coração diminuímos muito o consumo desses alimentos. As pessoas hoje em dia entram no supermercado procurando por produtos light.

De acordo com Dr. Heike R. Bischoff-Ferrari, da Universidade de Zurique, países onde o inverno é muito longo, para manter os níveis de Vitamina D acima de 30 ng/mL, é necessárias duas porções diárias e bem generosas de peixes gordos, como salmão, cavala, arenque ou sardinha.

O estilo de vida moderno também tem a sua parcela de culpa. As pessoas acordam, pegam o carro na garagem e dirigem até a garagem do prédio onde trabalha, trabalham até de noite e vão para casa, sem que uma gota de sol pegue em sua pele. No final de semana acorda tarde, cansado e desiste de tomar um sol. E fazemos atividade física praticamente dentro de academias. Sem SOL – Sem Vitamina D.

Suplementação de Vitamina D

A VITAMINA D tem tanto uma ação imunoestimulante, como uma ação imunosupressora, dependendo da dose utilizada.

Para se atingir o nível sanguíneo e terapêutico acima recomendado, a dose diária de Vitamina D, vai variar de acordo com a individualidade e a capacidade capacidade de absorção intestinal de cada um.

Em nossa experiência, normalmente precisamos de 10.000UI/Dia para manter o nível sanguíneo de Vitamina D entre 50-70 ng/ml.

Quando se utiliza doses superiores a 20.000UI/Dia, é recomendável que se reduza o consumo de alimentos ricos em cálcio, suspenda o uso de suplementos que contenham cálcio e monitore os níveis de cálcio e fósforo no sangue e na urina, além de outros marcadores que avaliam o metabolismo do cálcio e a função renal, entre outros.

O PROTOCOLO COIMBRA de VITAMINA D – O Dr. Cícero Coimbra, médico brasileiro com maior experiência na utilização da Vitamina D no tratamento de doenças autoimunes e doenças neurodegenerativas, geralmente utiliza em seu protocolo doses superiores a 20.000UI/Dia, acompanhada de uma dieta rigorosa de ingestão de cálcio.

A VITAMINA D necessita do apoio de outros nutrientes para execer todo o seu potencial terapêutico e reduzir a possibilidade de efeitos colaterais, como: Magnésio, manganês, boro, silício, genisteína, vitaminas K2 e B2.

A VITAMINA D necessita também do apoio de outros nutrientes quando for usada com o objetivo de fortalecer o sistema imunológico, como: Vitaminas A, C e E + Zinco, cobre e selênio.

Atenção

A VITAMINA D em doses superiores a 2.000UI/Dia, não deve ser utilizada sem acompanhamento médico, especialmente em portadores de cálculo renal e pacientes em uso de medicamentos ou suplementos para tratamento de osteoporose.

ARTIGO: VITAMINA D e SUAS MÚLTIPLAS AÇÕES

Dr. Frederico Pretti – Tel: (31) 98219-7475 – Belo Horizonte

Dr. Antonio Geraldo Camara – Tel: (16) 99622-8080 – Ribeirão Preto

Dr. Eduardo Poletti Camara –  Tel: (116) 99622-8080 – Ribeirão Preto



Postado em 20 de abril de 2020, por Frederico Pretti
Tags: , , , , , , , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Zinco – Fortalece o sistema imune

O ZINCO é um micronutriente essencial ao corpo humano, pois participa de várias funções vitais no organismo. Como o corpo não armazena, e nem produz esse mineral, é preciso que haja uma ingestão diária bem equilibrada para evitar a sua deficiência. O Zinco é sensÍvel ao calor e quase todo perdido durante o prOcesso de cozimento dos alimentos.

A deficiência ou baixos níveis de ZINCO no sangue, tem como principal consequência o comprometimento da imunidade, e uma maior vulnerabilidade a infecções causadas por vírus, bactérias e fungos.

Se você fica sempre doente, com problemas recorrentes de resfriados, sinusites, herpes e candidíase vaginal, você certamente se beneficiaria de uma maior ingestão ou suplementação de ZINCO. Além de reforçar o sistema imunológico, o Zinco tem uma importante ação bactericida, fungicida e viricida.

Quando o assunto é o fortalecimento do sistema imunológico, é sempre bom lembrar que o ZINCO precisa do apoio de outros nutrientes: Vitaminas A, C, D e E + Cobre e Selênio.

O ZINCO é um poderoso antioxidante, atuando em sinergia com outros nutrientes no combate aos radicais livres e o envelHecimento, e na redução da sarcopenia, perda da massa muscular que ocorre com a idade.

ZINCO, SELÊNIO e IODO são minerais muito importantes para o perfeito funcionamento da TIREOIDE. Glândula responsável pela produção dos hormônios T3 e T4, que desempenha um papel crucial no metabolismo corporal e na perda de peso.

ZINCO e IODO são minerais muito importantes para a SAÚDE da PRÓSTATA e para a prevenção do CÂNCER DE PRÓSTATA.

Principais funções do ZINCO

  • Indispensável para a saúde da tireoide;
  • Indispensável para a saúde da próstata;
  • Indispensável para a síntese de colágeno;
  • Indispensável para a síntese de proteínas;
  • Indispensável para o sistema imunológico.
  • Indispensável para o sistema antioxidante;
  • Indispensável para a contração e síntese muscular;
  • Indispensável para o crescimento e replicação celular;
  • Indispensável para a prevenção e tratamento do câncer;
  • Indispensável para a maturação sexual, fertilidade e reprodução.
  • Indispensável para a prevenção e tratamento da aterosclerose;
  • Participa da formação da insulina;
  • Participa da síntese e liberação de hormônios.

Principais sintomas da deficiência de ZINCO

  • Imunidade baixa com infecções recorrentes;
  • Perda do olfato e do paladar;
  • Dificuldade na cicatrização;
  • Retardo do crescimento;
  • Aumento da próstata;
  • Hipotireoidismo;
  • Diarreia crônica;
  • Queda de cabelo e alopEcia;
  • Infertilidade e impotência sexual;
  • Aumento da oleosidade da pele e acne;
  • Unhas fracas e manchas brancas nas unhas.

Algumas considerações sobre o ZINCO

  • Diabéticos e alcoólatras precisam de mais Zinco;
  • A vitamina B6 deve ser sempre acompanhada de Zinco;
  • A suplementação de zinco aumenta a necessidade de vitamina A;
  • A transpiração excessiva causa uma perda diária de 3mg de Zinco.

Melhores fontes de origem vegetal

  • Aveia, cereais integrais, germe de trigo, lentilha e levedo de cerveja.

Melhores fontes de origem animal

  • Carnes vermelhas e brancas, fígado bovino, ostras e outros frutos do mar e ovos.

Dose usualmente recomendada

  • 25 a 50mg/dia.

Artigo escrito por:

Dr. Frederico Pretti – Tel: (31) 98219-7475 – Belo Horizonte

Dr. Antonio Geraldo Camara – Tel: (16) 99622-8080 – Ribeirão Preto

Dr. Eduardo Poletti Camara –  Tel: (116) 99622-8080 – Ribeirão Preto



Postado em 13 de abril de 2020, por Frederico Pretti
Tags:
Leia os comentários   |   Deixe um comentário




Últimos Posts



Posts mais visitados



Filtrar por temas



Depoimentos

L.H.M – 55 ANOA – F. Pública

Tenho Artrite Reumatóide Juvenil desde 1976 – uma doença crônica que provoca inflamação, dor e deformação em várias articulações. Como é comum em portadores  de doenças crônicas estamos sempre em busca  de um novo tipo de tratamento que possa aliviar a dor e melhorar a nossa qualidade de vida. Em 2005, fui indicada por uma […]*


*Os resultados podem variar de pessoa para pessoa.
Gastronomia - Confira nossas receitas