Síndrome Alimentar Noturna

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Síndrome alimentar noturna é um transtorno do comportamento alimentar que se caracteriza pela ingestão inadequada de alimentos à noite, seja pela necessidade de comer na hora de dormir, acordar de madrugada para comer ou pela maior concentração do consumo de alimentos no período noturno.

Normalmente, esse tipo de transtorno alimentar, ocorre com maior frequência em pessoas com dificuldade para iniciar o sono (insônia inicial) e naqueles que perdem o sono de madrugada (insônia tardia).

Esse tipo de transtorno também se caracteriza pela necessidade imperiosa de comer alimentos hipercalóricos, sejam eles ricos em carboidratos ou gorduras, como: pães, bolos, biscoitos, doces, sorvetes, tortas, pizas, queijos, salames, etc.

Também é comum, logo após comer, sentirem-se imensamente satisfeitos e retornarem rapidamente ao sono. É o desejo de comer à noite e não a quantidade de alimento ingerido que define esse problema.

A Síndrome alimentar noturna, está intimamente associada a um quadro de estresse, ansiedade, angustia, depressão e à sensação que, sem o prazer de comer, não tem como conseguir dormir bem e satisfeito.

Uma boa noite de sono, depende de uma série de fatores neuroquímicos e hormonais, como a redução da adrenalina, noradrenalina, grelina e cortisol, assim como, o  aumento da produção de serotonina, melatonina e leptina. O  equilíbrio desses elementos possibilita a criação de um ambiente propício a um sono profundo e reparador, como diminuição da temperatura corporal, redução da ansiedade, redução do fluxo de pensamentos, relaxamento muscular, etc.

O consumo de alimentos ricos em triptofano, lisina, taurina, teanina, inositol, colina, serina, gaba, magnésio, vitaminas B3, B5, B6, B9 e B12, ômegas-3 e 6, estimulam a produção de serotonina, melatonina, leptina e ativa o sistema gaba, contribuindo para uma boa noite de sono. A melatonina funciona muito bem, nos casos de insônia inicial ou dificuldade para iniciar o sono.

A leptina, é o hormônio da saciedade. Ela envia ao cérebro e hipotálamo uma mensagem simples e direta: está na hora de parar de comer. Portanto, dormir bem auxilia na redução do apetite.

Os alimentos consumidos no jantar podem interferir positivamente ou negativamente na qualidade do seu sono. Alimentos ricos em proteína de difícil digestão, como as carnes vermelhas, e alimentos gordurosos de origem animal prejudicam a qualidade do sono. Uma massa cozida acompanhada de um molho vermelho com manjericão ou um molho vermelho com peixe e camarão, estimulam a formação da serotonina e melhora a qualidade do sono.

Os chá que reduzem a ansiedade e relaxam o cérebro também podem ser usado entre o jantar e a hora de dormir para combater a insônia e melhorar a qualidade do sono, como: chá de camomila, melissa, jasmim, maçã e maracujá.

Artigo: Dr. Frederico Pretti e Dra. Karine Queiroz (Psicóloga)


Postado em 3 de agosto de 2020, por  
Tags: , , , , ,
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Deixe um comentário

 (obrigatório)
 (Não será publicado - obrigatório)



Últimos Posts



Posts mais visitados



Filtrar por temas



Depoimentos

L.B.N.S – 34 ANOS– Auxiliar de Enfermagem

Sou mãe de 2 filhos e depois das minhas gestações adquiri  muito peso, cheguei a pesar 86 kg. Fiz varias tentativas para emagrecer, mas  como tinha um péssimo hábito alimentar, continuei acima do peso. Isso me levou a um quadro de depressão, não conseguia mais me olhar no espelho, não conseguia sair de casa e […]*


*Os resultados podem variar de pessoa para pessoa.
Gastronomia - Confira nossas receitas