Poder anti-inflamatório do açafrão

Atividade antioxidante, antitumoral, cicatrizante, antimicrobiana, antiangiogênica e melhora na sensibilidade à insulina são algumas das ações de um simples pozinho amarelo chamado cúrcuma. No Brasil, a cúrcuma também é conhecida como açafrão da terra ou gengibre amarelo.

Suas atividades são atribuídas ao seu poder altamente anti-inflamatório. Mas o que seria uma inflamação?

A reação do organismo a uma infecção ou lesão dos tecidos leva o nome de inflamação ou processo inflamatório. É natural e devemos ter essa reação orgânica porque é através dela que desenvolvemos uma sinalização para proteção e defesa a agressores celulares. O problema da inflamação começa quando ela deixa de ser pontual e passa a ser crônica.

No processo inflamatório agudo, o objetivo é reparar tecidos danificados por lesões de origem física, química ou biológica, visando destruir, diluir ou isolar o agente agressor e posterior reparação do tecido. Porém, quando o agente agressor é crônico, ou seja, contínuo, a resposta inflamatória se torna mais agressiva aos tecidos. Os macrófagos, que são células apresentadoras de antígenos (corpos estranhos), são ativados para combater esse processo e secretam vários mediadores químicos da inflamação, os quais, se não controlados, podem levar à destruição do tecido lesado ou alteração na sua funcionalidade.

Dentre as diversas doenças inflamatórias, podemos citar: alzheimer, obesidade, diabetes, hipertensão, doenças autoimunes, arteriosclerose, asma, câncer, doenças inflamatórias intestinais, artrite, etc.

 

A ação da curcumina

Alguns alimentos e temperos possuem substâncias com o poder de inibir a resposta pró-inflamatória. A curcumina, princípio ativo da cúrcuma, por exemplo, inibe a ativação de uma substância responsável pela expressão genética de substâncias pró- inflamatórias, além de inibir a COX-2, tendo o seu efeito comparado a medicamentos anti-inflamatórios.

 

Como utilizá-la?

Você pode acrescentar ao omelete, queijo cottage ou ricota para fazer uma pasta, arroz integral, frango ou tempero da salada. São inúmeras as opções de uso desse pozinho mágico. Ele deve ser incluído ao final das preparações para manter o princípio ativo. Fique atento à forma de armazenamento, o ideal é que seja armazenado em local sem incidência de calor.

Dica da nutricionista Caroline França.


Share
Postado em 16 de agosto de 2016, por  
Tags:
Leia os comentários   |   Deixe um comentário


Um comentário Receba os comentários por email.


  1. Tania

    Muito bom mesmo. Pode fazer um chá bem refrescante.
    Um abs

    25 de agosto de 2016 @ 21:19

Deixe um comentário

 (obrigatório)
 (Não será publicado - obrigatório)



Últimos Posts



Posts mais visitados



Filtrar por temas



Depoimentos

V.B – 52 ANOS – Administradora

Fiz mais de uma vez o Programa de Revitalização Intensiva. Porque agora que sei dos benefícios surpreendentes que ele pode proporcionar, sempre que começo a me sentir sem energia, faço 2-3 soros e já me sinto ótima. Em pouquíssimo tempo, o cansaço acumulado dá lugar a uma energia surpreendente. A minha disposição fica incrível. Gosto […]*


*Os resultados podem variar de pessoa para pessoa.
Gastronomia - Confira nossas receitas